segunda-feira, 1 de abril de 2013

RELATO PARTO HUMANIZADO - YARA (Mamis Convidada)

Olá mamães,
Hoje temos o relato do parto da minha querida amiga Yara, contando pra nós como foi o seu parto humanizado e a linda chegada do príncipe Antônio.



RELATO PARTO HUMANIZADO - YARA

Olá, leitores! Fui convidada pela amiga Michele a dividir com vocês o relato do meu parto humanizado e aqui o faço com muito carinho!

Após dois anos tentando engravidar, finalmente recebi a notícia de que o meu Antônio estava chegando. Desde então, tudo o que fazia parte do universo maternal passou a fazer parte da minha vida e dos meus pensamentos, incluindo o tipo de parto que traria meu filho ao mundo. Sempre tive preferência pelo parto normal por todos os benefícios que trazem para a mamãe e o bebê e estava disposta a realizá-lo.

Meu pré-natal foi bem tranquilo, mas senti que a médica que me acompanhava não estava muito disposta a realizar o parto normal humanizado que eu tanto queria. Pude perceber que, ao invés de me encorajar, ela preferia me incentivar a realizar uma cesárea, mesmo não havendo necessidade.

Não me preocupei, pois sabia que o parto normal dependia muito de mim, do meu desejo que o mesmo acontecesse, já que todos os meus exames estavam ótimos e o bebê super bem. Resolvi procurar uma clínica que priorizasse o parto humanizado. Foi amor à primeira vista! Fui muito bem atendida durante a visita e senti que ali eu e meu bebê seríamos acolhidos com carinho. Era disto que eu precisava...

Eis que numa manhã de sábado – dia 4 de setembro de 2010 – o momento tão aguardado e que transformaria a minha vida começava a acontecer...

Senti umas cólicas estilo menstrual às 6:30 da manhã. Nunca tinha sentido nenhuma contração até esse dia. Lembrei que a minha médica tinha dito pra só correr quando estivesse com 3 contrações a cada 10 minutos. Isso daria um intervalo de quase 3 minutos entre as contrações.

Comecei a contar e foi incrível porque quando eu sentia a contração e olhava no relógio, o intervalo era realmente de 3 minutos regularmente. Fui ao banheiro e vi que o tampão havia começado a sair. Voltei para a cama e fiquei quietinha. Não queria me adiantar. Mas lá pelas 7 da manhã a bolsa estourou.
Só aí chamei o maridão. Estava tão tranquila que fui tomar banho, liguei para minha mãe, pegamos as malas que já estavam arrumadas e fomos para a maternidade.

Cheguei na maternidade com 4 dedos de dilatação. A médica do plantão surgiu como um anjo. Conversamos e deixei bem clara a minha vontade de realizar um parto humanizado e ela me respondeu com um imenso sorriso, apoiando a minha decisão.

Subi para a sala de parto e entrei numa banheira maravilhosa junto com o papai. Nesse período, as contrações aumentavam. A água quente da banheira ajudou bastante, mas a presença do meu marido me abraçando, junto de mim neste momento foi fundamental. Quando as contrações aconteciam de um em um minuto, a dor aumentou e a minha vontade de ter meu filho nos braços também!

Eram 12:05 (galera almoçando), quando senti que estava na hora. Decidi sair da banheira. A médica, fantástica, apoiou. Fui para a cama e já estava com dilatação total. Detalhe: Além do papai, meus pais acompanharam cada segundo junto de mim. De volta para o grande momento... Fiz a primeira força deitada, mas foi muito difícil. Então falei para a médica que preferia tentar de cócoras, para que a natureza me ajudasse. Fiz a segunda força e o baby coroou. A médica, eufórica, mostrou a cena para mim através de um espelho, dizendo: “Olha que lindo os cabelinhos do Antônio!” Pronto! Era o combustível que eu precisava para fazer a força definitiva que traria meu filho para o mundo. Dito e feito. Esperei passar a dor da contração para me posicionar melhor e fiz minha terceira força.
Neste momento, ouvi o som mais lindo do mundo: o choro do meu filho!

Ele já veio direto para os meus braços. Ainda estávamos ligados pelo cordão umbilical. Que momento incrível! Assim que ele ouviu a minha voz, abriu os olhos e namorou a mamãe pela primeira vez. O papai, todo emocionado, cortou o cordão umbilical. A pediatra, na mesma hora, já me incentivou a amamentá-lo. Foi lindo vê-lo recém-nascido sugando o colostro que já estava lá. Enquanto isso, a vovó e o vovô mais babões acompanhavam cada momento. Foi lindo demais!!!
Arquivo pessoal

Meu filho nasceu às 12:31pm, com 2.845 kg e 47 cm. Apgar 9/10. É incrível porque o que mais dói são as chamadas contrações de expulsão, porque o parto em si foi praticamente indolor. Eu estava tão emocionada e envolvida com o momento que segundos após o nascimento do meu filho, estava naturalmente anestesiada.
Fiquei muito orgulhosa por ter conseguido trazer meu filho ao mundo do jeito que sonhava. Ele nasceu muito saudável. Tive pouquíssimas lacerações, que foram costuradas enquanto o baby tomava seu primeiro banho, realizado com a ajuda da vovó Jane.

Minha recuperação foi tranquila e pude curtir cada momento com meu filho. Lembro que quando recebemos alta da maternidade, fui parabenizada pelas meninas da equipe médica. Elas disseram que foi um parto lindo e ficaram felizes por presenciarem aquele momento. Sou muito grata pelo carinho que recebi de todos.

Hoje me sinto a pessoa mais feliz do mundo e muito realizada pela escolha do meu parto. O parto humanizado fez este momento ainda mais inesquecível. Não precisei de anestesia, nem de corte ou ocitocina. Precisei do combustível que mantém esse universo ainda mais lindo: o AMOR!!!

Com carinho,
Yara, a mamuxca coruja do Antônio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...