terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Vaidade infantil. Sim ou não?... - by Ro Groba


techs.com.br

Olá!!!
Vivemos num mundo onde a aparência importa mais que o caráter. Infelizmente nossa sociedade é assim...e vemos nossos filhos crescendo nesse meio; portanto cabe a nós, pais, educá-los da melhor maneira possível!!
Nunca precisei me preocupar muito com vaidade excessiva aqui em casa; mas minha filha mais velha já começou a mudar de atitude e tem procurado se arrumar mais. Já me pediu para comprar maquiagem, se preocupa mais em arrumar o cabelo e passar cremes; se interessa por dicas de beleza, etc..  Gosta de manter as unhas pintadas!! E a menor assitindo a tudo isso também pede para pintar unha, quer passar batom... E até onde devemos permitir essa vaidade em crianças tão pequenas? Quando devemos nos preocupar?


"A vaidade infantil é muito comum nas meninas de hoje em dia. Que menina nunca quis usar o salto alto da mãe? Ou nunca experimentou as maquiagens da mãe e se borrou toda? Essas brincadeiras podem até ser consideradas fofas e divertidas, pois fazem parte da infância das meninas que querem ser grandes mulheres quando crescerem. Porém, lembre-se que essas brincadeiras devem acontecer uma vez ou outra.

Quando a sua filha colocar um salto seu e tentar se equilibrar em cima dele ou aparecer com o rosto todo borrado de maquiagem, riam juntas e explique para ela, que assim que ela crescer ela poderá fazer tudo isso. Esse tipo de brincadeira faz parte do universo feminino, aposto que quando você era pequena também fazia as mesmas coisas, como rabiscar a cara das bonecas, pintar as unhas ou cortar os cabelos da boneca, por exemplo.
A brincadeira começa a se tornar um problema quando a criança começa a agir feita adulta. Ou então quando a criança começa a deixar os brinquedos que sempre gostava para brincar com atividades de adultos. E é nesse momento que a vaidade infantil começa a se tornar um problema, já que a criança não se sente mais a vontade com a sua própria idade."

Segundo a psicóloga Sueli Castillo, crianças de todas as épocas sempre sonharam em ser adultos antes do tempo. "Meninas calçam os sapatos de salto alto e adoram se pintar com o batom preferido da mãe", exemplifica. Para a profissional, a vaidade infantil em proporções moderadas demonstra um processo de desenvolvimento saudável da criança. Mas quando a preocupação estética não se resume a situações e, sim, a uma constância no comportamento, ela passa a ser preocupante.

A psicóloga diz que as meninas podem ser influenciadas desde cedo tanto pela mídia - que prioriza o culto à beleza - quanto pelas mães vaidosas. "Atualmente observam-se em salões de beleza meninas de dois, três aninhos, pintando as unhas e as mães valorizando esse comportamento", descreve Sueli.

O que parece gracioso para muitos, de acordo com a psicóloga, pode acarretar graves problemas na formação emocional e física dessas garotas. "A situação de estresse constante para a manutenção do corpo idealizado provoca depressão. Também surgem transtornos de ansiedade, somados aos problemas físicos em função de químicas exageradas, tratamentos estéticos abusivos e cirurgias plásticas indevidas", cita Sueli. Ela ainda destaca a ocorrência de déficit de aprendizado escolar, uma vez que a vaidade é o único fator essencial para essas meninas.
Além das manifestações comportamentais, a dermatologista Glícia Rodante ressalta que é muito freqüente crianças desenvolverem dermatite de contato, que nada mais é que uma alergia desencadeada por exposição a produtos químicos, como maquiagens, cremes, esmaltes e perfumes.
Caso a pequena goste de se produzir, a dermatologista indica apenas um batom ou brilho labial. "Não permita o uso do pó compacto, blush, sombra e muito menos lápis e delineador, pois, mais que alergias, eles podem ferir os olhos da criança durante a aplicação", alerta. A médica destaca também os esmaltes que, segundo ela, estão entre os produtos que mais causam reações alérgicas devido à fina camada de pele das mãos das crianças.

O conselho da dermatologista é observar os rótulos em busca de alguma certificação, como a aprovação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), e optar por produtos hipoalergênicos, ou seja, destinados às peles sensíveis, de preferência de marcas já estabelecidas no mercado. Para hidratantes e perfumes, a dica é deixar de lado os produtos com alta concentração de corantes (identificados pelas cores intensas, como pink, laranja, roxo) e com presença de álcool - usado para fixar o aroma da fragrância. "Ainda é preciso ficar atento quanto à embalagem para verificar se ela não se quebra e nem desmonta com facilidade, caso contrário, pode ferir a criança", completa Glícia.
Quanto ao cabelo, a dermatologista não indica nenhum tratamento que altere a estrutura capilar. "Substâncias que modificam o cabelo, tanto para alisar quanto para enrolar, danificam os fios que, por serem mais finos e frágeis que dos adultos, estão mais propensos a quebras e quedas", explica.

Sinais de alerta

Cabe aos familiares mais próximos identificar se a criança está distorcendo sua auto-imagem ou se há uma obsessão pela beleza. Nesses casos, o mais indicado é procurar a ajuda profissional para que, dessa forma, a menina aprenda a assumir sua própria identidade.
A psicóloga Sueli Castillo elencou algumas atitudes que podem servir de alerta aos pais para detectar quando a criança está prestes a passar do limite saudável da vaidade. Confira a seguir:

- Quando a menina passa muito tempo diante do espelho;

- Quando ela valoriza mais a aparência que os estudos;

- Quando inicia dietas de emagrecimento justificando estar acima do peso;

- Quando a marca da roupa for mais importante que a própria roupa;

- Quando toda a mesada for destinada para a compra de cosméticos, roupas e acessórios.


Vaidade infantil
http://nadafragil.com.br/vaidade-infantil-ate-onde-e-saudavel/

Por enquanto a vaidade por aqui está sob controle!! E sempre enfatizo muito o fato de que criança tem que brincar e aproveitar a infância, ser moleque mesmo!!  É claro que tem o momento de se arrumar, fazer um penteado mas sem exageros!!
A Mamis Alê também já abordou esse tema. Confira aqui


Fonte: http://nadafragil.com.br
         
         http://mulher.terra.com.br

Um comentário:

  1. Muito interessante! Sempre pensava em qual deveria ser o limite do normal e do excedente nessa questão da vaidade feminina.
    Excelente artigo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...