quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Resultado da pesquisa sobre seu parto - by Camila

Olá, durantes os meses de novembro e dezembro, abrimos uma pesquisa sobre os partos das mamães que nos acompanham, e algumas de vocês nos responderam. Primeiramente, antes de mostrar o resultado, gostaria de agradecer aquelas que nos deram alguns minutinhos de seu dia para nos contar como foi seu parto! Assim, vocês nos ajudam a tirar a dúvida de outras mamães que vão passar pelo mesmo que a gente já passou um dia.

Vamos às respostas da pesquisa?

- 86% das mamães que nos responderam a respeito de suas primeiras gravidezes e o restante da segunda. Não tivemos participação de mamães de mais de 3 filhos.  
Seria isso o indicativo que estamos realmente tento menor número de filhos? Apenas 1 por casal? Por que estamos tomando esse tipo de decisão?

- 52% são mães de meninas e 48%, de meninos.
Bem equilibrado, não é mesmo?

- Nosso bebê mais velho nasceu em 1999 e o mais novo em 2012. A média de ano de nascimentos das respostas foi o de 2010.

- 36% nasceram de 38 semanas; 47%, de 39 semanas; 6%, de 37 semanas; 11%, de 40 semanas.

- 81% tiveram gravidez sem anormalidades, e 19% tiveram gravidez de risco.

- 57% idealizavam um parto vaginal, mas até aceitavam certa intervenção (anestesia, episiotomia, etc...); 29% queriam cesárea logo de cara; 14% sonhavam com um parto vaginal, sem qualquer tipo de intervenção.

- 67% das mamães já conversaram com o obstetra logo nas primeiras consultas (até a 12ª semana); 24%, quando o parto se aproximava (após as 32 semanas); 5% nunca se preocupou com isso e 5% no meio da gestação.

- Quando perguntadas do que o Obstetra teria dito a elas quando questionados sobre o parto, a maioria disse que deveriam aguardar mais próximo a data do nascimento para decidir; alguns deram "ok" para o parto normal, mas desde que não ultrapasassem um prazo "x" determinado por ele; um dos médicos mandou a gestante, que tinha parto previsto para a virada de ano agendar a cesárea para dia 23/12, ela mudou de médico, mas o segundo lhe disse a mesma coisa (acho que tem gente que escolheu a especialização errada...); um dos médicos chegou a indicar a cesárea por ser mais segura, pois se houver hemorragia a paciente já estaria "aberta" e seria mais fácil de identificar e tratar e que a maioria dos processos contra os obstetras estão relacionados ao parto vaginal (estaria ele preocupado com o bebê ou com um processo judicial?!); e outra mãe teve indicação de cesárea por problemas na placenta.

- Depois de conversar com os respectivos obstetras, a maioria das mães que responderam à pesquisa disse que eles se entederam desde o início; apenas a mamãe da data prevista para a virada de ano não conseguiu comprometimento de nenhuma das Obstetras consultadas e outra mamãe trocou de médico, pois queria um que seguisse sua linha de pensamento.

- 81% das mulheres não fizeram plano de parto e 19% fizeram. Desses 19%, 75% tiveram seus planos respeitados e outros 25% não.

- 62% das parturientes chegaram a entrar em trabalho de parto.

- De 21, apenas uma mamãe teve acompanhamento de Doula durante a gestação e o parto.

- Com relação à hora "H", 90% fizeram cesárea (isso porque 71% queria parto vaginal... Não foram respeitadas pelos médicos. Teriam sido enganadas na conversa do consultório quando questionaram o obstetra em relação ao parto? Aconteceu algum problema?); 5% teve parto vaginal sem intervenção e os outros 5%, vaginal com intervenção.

- Quando questionadas a respeito do parto ter sido o não de forma que elas sonharam, destacamos as seguintes respostas:
> houve tentativa de indução, mas teve que fazer cesárea de emergência;
> o tampão já havia saído, mas a dilatação não prosseguiu, teve que partir para cesárea;
> perto da hora H, uma mamãe teve medo e como a filha estava com cordão enrolado no pescoço, optou por cesárea;
> o parto não foi dos sonhos, pois sempre quis parto vaginal, mas de acordo com o médico, a pressão arterial aumentou e devido ao edema desde a 16ªsemana, optaram pela cesárea;
> como o bebê mexia pouco no final da gestação, optaram pela cesárea;
> fez cesárea devido ao tamanho do bebê (4kg e 50cm);
> como o bebê não encaixou antes das 40 semanas, optou pela cesárea;
> como já era o segundo bebê e após uma cesárea, optou por uma segunda cesárea;
> como teve rompimento da bolsa prematuramente devido a infecção urinária, seguida de internação e repouso, e pelo bebê estar sentado, optaram pela cesárea;
> como sempre sonhou em não sofrer dor na hora do parto, optou pela cesárea;
> a cesárea foi opção desde o início;
> o parto vaginal sem intervenção e com doula foi opção desde o início;
> por não ter passagem, submeteu-se à cesárea;
> por ter motivos de saúde (asma) e apresentar perda de líquido com 37 semanas, optou pela cesárea;
> aguardou as 40 semanas, mas o não teve trabalho de parto e foi submetida à cesárea;
> apesar da mãe querer ter tido parto normal, mas era segundo parto após cesárea, e teve que fazer repouso por perda de líquido com 38 semanas, optaram pela cesárea;
> a cesárea foi a melhor na opinião de outras mamães;
> o parto vaginal com intervenção foi como a outra mamãe queria que fosse.


Que conclusões você teria com essa pesquisa e com as respostas dadas pelas mamães? Vocês acham que os obstetras estão respeitando a opinião da gestante? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...