sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Estenose Crânio Facial - By Thay

Olá meninas....

Já ouviram falar de estenose?

Vou explicar um pouquinho do que se trata.

A estenose crânio-facial, ou cranioestenose, é diagnosticada logo após o nascimento e normalmente aparecem com as síndromes de Crouzon e de Apert mas também podem surgir sozinhas.

Trata-se de uma alteração genética.

O crânio do adulto é uma peça completa. Já o da criança tem várias placas soltas, como se fosse um quebra-cabeça. A separação entre essas peças é chamada de sutura e a estenose ocorre quando há um fechamento precoce dessas suturas, explica o especialista em assimetrias cranianas Gerd Schreen, da clínica Cranial Care.

imagem daqui

Cada linha que divide o crânio em pequenos pedaços é chamada de sutura. Pessoas que sofrem estenose crânio-facial sofreram o fechamento de uma ou mais suturas prematuramente.

Como ela é diagnosticada: a anormalidade pode ser descoberta por estudo radiológico, radiografias ou tomografias do crânio com reconstrução tridimencional. Exames de ressonância magnética ainda podem mostrar sinais de atrofia cerebral e outras anormalidades.

Quando a estenose tem impacto somente na parte estética, paciente e médico podem discutir a necessidade de intervenção cirúrgica na criança visando o bem estar. Porém, há casos em que a estenose coloca em risco a vida da criança, e, assim, o procedimento cirúrgico é fundamental e deve ser feito o quanto antes.

Alguns casos exigem o acompanhamento fonoaudiológico, fisioterápico e ortodôntico.

A não intervenção cirúrgica pode levar a deformidades permanentes na caixa craniana e das estruturas faciais associadas, que incluem deficiências estéticas, funcionais e psicossociais, tais como microcefalia (o cérebro atrofia pois não tem espaço para se desenvolver), hidrocefalia (dilatação dos ventrículos e de cavidades dentro do cérebro pelo acúmulo de líquor - líquido que hidrata e protege o órgão) e proptose ocular (deslocamento do globo ocular).

Os bebês com estenose crânio-facial possuem os olhos ligeiramente mais afastados um dos outros, órbitas mais rasas que o normal, que faz com que os olhos pareçam estar saltando para fora, diminuição do espaço entre nariz e boca e a cabeça pode ficar mais alongada que o normal ou em formato de triângulo dependendo da sutura que tenha fechado precocemente.

Estudos comprovam que gestantes fumantes ou que vivem em local de grande altitude tem uma maior chance de gerar um bebê com a anomalia em virtude da diminuição de oxigênio passada para o bebê durante a gravidez.

Infelizmente, o tratamento é cirúrgico. Consiste em afastar as suturas ósseas que compõem os ossos da cabeça e assim permitir um bom desenvolvimento cerebral. Dependendo da gravidade do caso, podem ser realizadas mais de uma cirurgia.

Espero que tenham gostado.

Xoxo
Thay

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...