terça-feira, 11 de dezembro de 2012

A escolha pela escola bilíngue - by Cristina Mara (Mamis Convidada)

Olá amigos....o ano letivo já está chegando ao fim e muitos já devem ter decidido sobre a escola de seus filhos para o próximo ano. A educação bilíngue sempre me chamou muito a atenção e está na minha "lista de desejos" para as minhas filhas hehehehehe, conversando com uma amiga/leitora e seguidora do blog ela me deu algumas explicações que reforçaram ainda mais esse meu desejo, então pedi pra ela colocar isso tudo no "papel" para dividir com vocês, espero que gostem!! Bjos Thany

Devido a globalização, muitos pais estão matriculando seus filhos em uma escola onde se ensina além do português (língua materna) o inglês como segunda língua. É a chamada escola internacional.

A principal característica das escolas bilíngues é a utilização da língua estrangeira, que geralmente é o inglês, na rotina escolar. Além das aulas especificas do idioma, a língua inglesa é falada no interior da escola desde alguns funcionários administrativos e inclusive os professores. Geralmente os professores falam em português e depois repetem a mesma fala em inglês. Também pode acontecer o seguinte: o aluno fala em português e o professor responde em inglês. Não se trata de dar muitas aulas de um idioma estrangeiro, mas de ensinar as diferentes disciplinas nesse idioma.
Muitos pensam que as crianças terão grandes dificuldades para aprender o segundo idioma. Pesquisas apontam que a aprendizagem de uma segunda língua não interfere no aprendizado da língua-mãe. Enquanto que em casa as crianças aprendem a língua mãe, no nosso caso o português, a escola encarrega de envolver as crianças na segunda língua com canções, falas, brincadeiras em inglês. As crianças aprendem “brincando” a segunda língua. Geralmente as crianças iniciam a compreensão a partir dos 2 anos de idade ou antes um pouco. Até os 11 anos de idade as crianças aprendem mais de um idioma com facilidade. Aprendem com prazer e de forma lúdica. Quanto mais novas começam a aprender uma segunda língua mais facilidades terão no futuro. Mas, não espere que seu filho falará inglês sempre que você quiser ou pedir. Geralmente ele mais ouve e entende nos primeiros anos e depois consegue falar a língua a partir dos 8 anos. No ambiente escolar ele será bem mais espontâneo do que no ambiente familiar onde se fala só o português. Portanto, não exija muito do seu filho. Deixe-o tranquilo que ele está aprendendo com certeza.
A escola internacional não deve desprezar o aprendizado da língua materna, no nosso caso o português. O domínio da língua mãe é essencial para o aluno. Deixa-o ativo e seguro para aprendizagens posteriores. A escola internacional proporciona o acréscimo do segundo idioma no aprendizado do aluno.
A escola que opta para oferecer o aprendizado bilíngue deve ensinar o idioma por imersão, ou seja, na conversação e diálogos diários, atividades diárias, brincadeiras, músicas na língua em si. Não adianta ministrar aulas de inglês duas ou três vezes por semana por uma hora cada. É o ambiente que trará e proporcionará a aprendizagem.
O aluno que estudou numa escola bilíngue ao atingir a adolescência será capaz de ler, falar e escrever em inglês e possivelmente até numa terceira língua. Há escolas que oferecem o francês a partir do sexto ano. O adolescente possivelmente estará apto para estudar no exterior, se desejar.
 Na educação bilíngue os professores devem ser formados em Letras ou Pedagogia com dominância no segundo idioma por ter morado, estudado ou trabalhado em outro do país. Algumas escolas exigem certificados do Cambrigde aos professores. Geralmente as mensalidades são mais caras do que outras com o mesmo padrão.
É muito importante que os pais visitem a escola bilíngue antes de matricular o filho. É preciso saber quanto tempo o filho ficará exposto ao segundo idioma, as qualificações dos professores e coordenação, qual é o nível de fluência dos professores, visitar as salas de aula ainda em período letivo e não nas férias, além do ambiente e espaço físico da escola em si. É importante conversar pessoalmente com o coordenador de português e inglês, porque geralmente são dois coordenadores e se possível com o diretor. Assim você ficará mais próximo da rotina e dos objetivos da escola. Pode até descobrir como surgiu a escola e particularidades interessantes do ambiente escolar. Geralmente você será bem recebido por todos. 
Não é fácil tornar alguém bilíngue morando num país de outro idioma. Quanto mais cedo a criança for inserida neste ambiente escolar melhor será. Quanto mais recursos você oferecer a criança em casa melhor. Se um dos pais domina uma segunda língua vale a pena conversar e brincar espontaneamente com a criança. Tudo ajuda para o aprendizado.
Meu nome é Cristina e moro em Goiânia/Goias. Tenho um filho com 6 anos de idade que estuda numa escola internacional. Procurei esta escola primeiramente porque sou uma apaixonada pela língua inglesa e quero que meu filho seja também. Acredito que uma segunda língua só trará benefícios a ele assim como é pra mim. Estou muito satisfeita com a escola. No ano que vem, 2013, meu filho será alfabetizado na língua inglesa, terá aulas com uma professora nativa inglesa e o ambiente escolar “respira” em inglês. Este ano ele foi alfabetizado em português e teve um bom rendimento escolar.
Descobri que meu filho já consegue pensar em inglês quando perguntei o que ele tinha lanchado na escola e ele me disse assim: “mãe eu comi pãozinho e bebi “juice” de uva. Foi tão espontâneo que me emocionei e tive a certeza a partir desta pequena fala que estamos no caminho correto. E assim tenho várias outras falas dele assim.
Toda a alimentação do meu filho é feita pela escola e não podemos levar lanche de casa. Meu filho lancha e almoça na escola todos os dias. Durante as refeições eles falam em inglês e solicitam em inglês. Se falam em português são respondidos em inglês. Caso não entendem falam em português com ele. Tudo muito dinâmico e para ser compreendido. Meu filho nunca se queixou de não estar entendendo ou estar alheio ao dialogo.
Se tiver curiosidades ou duvidas entrem no site da escola do Arthur: www.escolainternacional.net
Thanira, que hoje faz parte dos amigos que ganhei no meu retorno a minha “hometown”: obrigada pelo convite para escrever este texto que surgiu a partir de um breve papo aqui na porta de casa. Amo o blog e estou pronta pro próximo convite!!! 
Bjim no coração, Cris.


Cristina Mara Pereira Antunes, pisicóloga e mãe do fofo Arthur de 6 anos.

Um comentário:

  1. Muito bom o post!!! Ja trabalhei na escola americana no Rio de Janeiro e la se "respira" ingles mesmo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...