quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Nossa Pesquisa sobre Amamentação - Resultado - by Camila

Olá, caras leitoras, como estão indo neste final de semana?

Hoje vamos divulgar o resultado de uma pesquisa que abrimos há algum tempo sobre amamentação, e assim podermos discutir os resultados juntas, ok?

- Todas as mamães (42) que responderam ao nosso questionário amamentaram seus bebês.

- 17% alegaram que não foram bem orientadas quanto à amamentação ainda na maternidade. Como foi com você? A enfermeira ou a pediatra te explicaram direitinho sobre a pega correta da criança? O que fazer em caso de rachaduras e etc?

- 69% amamentaram exclusivamente. Um bom número, mas temos que ver que apenas mamães que amamentaram exclusivamente responderam ao nosso questionário, assim 31% usaram complementos juntamente com o aleitamento materno. Por que esse número tal alto? Má orientação? Preocupação com estética? Pega incorreta? Não produzia leite suficiente?

- Sobre a introdução de outros alimentos: 7% foram no primeiro mês, (provavelmente o leite artificial); 29% entre 2 e 4 meses; 38 % entre 5 e 6 meses e 26% após os seis meses de idade. Ou seja, apenas 26% seguiram a recomendação de amamentação exclusiva até os 6 meses de idade. Número ainda muito pequeno que deveria ter atenção especial do governo, vocês não acham? Pelo menos se considerarmo a janela de introdução apenas após o 5º mês, o número sobre para 64%. Mas o que ainda leva à introdução um mês antes do dito "correto"?

- Perguntamos se o pediatra indicou amamentação exclusiva até os 6 meses e 79% responderam que sim. esse número conflita com a pergunta anterior (onde apenas 26% esperaram o 6 mês para introduzir outro alimento). Por que tanta diferença? O pediatra "indica", mas na hora não "cumpre"? Ou a mãe decide que é hora de parar por "n" motivos (voltar a trabalhar é um bom motivo...)? Ou o próprio bebê não "curte" mais somente o leite materno?

- Perguntamos para as mamães se a amamentação foi fácil para ela, e 45% falaram que não.


- A pergunta seguinte foi "quando a amamentação ficou prazerosa" para você"? E 33% alegaram que não tiveram problemas; 21% após 15 dias; 29% entre 16 e 30 dias; 10% entre 31 e 60 dias; 1 % somente após 61 dias. E 5% responderam que a amamentação nunca foi prazerosa, pois sempre sentiram dor.

- Os principais problemas com amamentação relatados foram (em ordem crescente): rachaduras, pega incorreta, bico do seio invertido, tempo, baixa produção de leite materno.

- Perguntamos ainda por quanto tempo as mamães amamentaram: 7% até 2 meses, 5% de 2 até 4 meses, 21% de 4 até 6 meses, 21% de 7 até 9 meses, 17% de 9 até 12 meses, 17% de 12 até 18 meses, 5% de 18 a 24 meses e 7% acima de 2 anos. Isso indica que, mesmo com a introdução de alimentos, 29% das mães amamentaram seus filhos maiores de 1 ano. Isso é bom, pois mostra que ainda existe mães que não escutam aquelas histórias de que o leite fica aguado, que não presta mais e etc.

- Questionamos se elas fizeram alguma "simpatia" para aumentar a produção de leite, e tivemos as seguintes respostas (em ordem crescente): beber muita água, comer canjica e/ou arroz doce. Ainda apareceram respostas como: beber cerveja preta, medicamentos, chá de welleda e alfafa manipulada. Você lançou mão de algo assim?

- Para aquelas que utilizaram leite artificial, perguntamos qual a marca que elas utilizaram e as repostas foram (em ordem crescente): NAN, Nestogeno, Aptamil, Similac, Enfamil, Ninho. O que faz uma marca ser mais utilizada que a outra? Propaganda? Qualidade? Preço?

- E finalmente, pergutamos se as mamães conheciam o banco de leite de sua cidade ou região, e 48% disseram que sim. Por que um número tão baixo? Desconhecimento deste tipo de serviço? Ou falta desse serviço na região que a mamãe mora?


O que você acha desses números de nossa pesquisa? Te surpreendeu ou você já esperava algo assim? Amamentar não é fácil, todas sabemos, mas pode ser extremamente gratificante, quando vemos nossos filhos crescendo saudáveis e sabemos que estamos oferecendo o melhor para seu desenvolvimento. Infelizmente o número de mães que não podem amamentar, mesmo querendo, aindá é grande... O mais alarmante são aquelas que podem amamentar e deixam de fazê-lo por motivos nem tão importantes assim. O que adiantaria nesse caso? Apenas uma campanha governamental melhoraria esses números? Dê a sua opinião.

Até logo!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...