quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Optamos pela vasectomia - by Rolopes

Bom dia leitores!

Hoje vou falar sobre a vasectomia, método que optamos aqui em casa após o nascimento dos nossos dois filhos.

Desde que casamos, eu e ele pensávamos em ter dois filhos, e assim fizemos. Rafaella nasceu em 2009 e agora, em 2012, nasceu o Renan. E então era a hora de decidir "como" fecharíamos a fábrica. Eu não queria mais depender de pílulas anticoncepcionais nem outro método (usei DIU e não fui bem sucedida). Pensei em fazer a ligadura de trompas porém minha médica ginecologista não realiza este procedimento durante o parto, teria que retornar após 6 meses para fazê-la, enfrentar mais um procedimento cirúrgico, anestesia, etc. Foi então que meu marido, por livre e espontânea vontade se ofereceu para fazer a vasectomia.

Como este método é definitivo (ok, existe a possibilidade de reversão depois, mas é bem complicada), a decisão precisa ser tomada a dois para não haver arrependimentos futuros. E nisso estávamos certos. O médico perguntou várias vezes se a decisão era essa mesmo, pra ter certeza que estávamos certos disso.

Essa cirurgia não é coberta pelo nosso plano de saúde, um ponto negativo na minha opinião, quase que obrigando a mulher ter que operar ao invés do homem. Como decidimos pela vasectomia, tivemos que pagar por ela.

Tecnicamente falando, a vasectomia ou deferentectomia é um método contraceptivo através da ligadura dos canais deferentes no homem. É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto. Não precisa de internação. É uma cirurgia de esterilização voluntária.


Este método foi utilizado pela primeira vez em 1957. As taxas de falha da vasectomia são menores que 1%, mas a eficiência da operação e os índices de complicações variam com o nível de experiência do cirurgião que faz a operação e a técnica cirúrgica utilizada. A maioria dos homens sofrerá com pequenos problemas na pele do escroto por três a cinco dias depois da operação. Sugere-se que homem com vasectomia não têm um risco aumentado de câncer de próstata e testículo.

Embora uma falha tardia (causada pela recanalização dos ductos deferentes) seja muito rara, ela também foi documentada. Algumas fontes recomendam anualmente examinar a próstata a partir dos 40 anos de idade.

A vasectomia é o método contraceptivo a longo prazo mais eficiente que existe, e está entre as opções mais seguras para o planejamento familiar. Atualmente muitos homens em seus 30 ou 40 anos são os que mais fazem a vasectomia, a fim de um controle de natalidade. As taxas de vasectomia em relação às ligações de tuba variam muito no mundo, e as estatísticas estão baseadas principalmente em estudos de questionários do que em contagem dos procedimentos realmente realizados. Nos Estados Unidos, a ligação de tuba está a frente da vasectomia, mas não em grandes proporções. No Reino Unido, a vasectomia é mais popular que a ligação de tuba.

 Os casais que escolhem a vasectomia são motivados por, entre outros fatores:

- A simplicidade da vasectomia;
- Poucas complicações;
- A baixa mortalidade da vasectomia;
- Medo de cirurgia pelas mulheres;
- Conhecem homens que fizeram a cirurgia e estão satisfeitos com os resultados;
- Uma motivação mais forte pela esterilização no homem.

Após a cirurgia, para garantir que a mesma foi bem sucedida, exige-se que o homem faça 2 espermogramas, com 30 e 60 dias pós-cirurgia para verificar a ausência de espermatozóides na amostra colhida. Sabe-se que o ciclo de produção de um espermatozóide varia em torno de 72 dias, portanto recomenda-se que o casal use outro método contraceptivo por um período de pelo menos 90 dias após a realização da vasectomia, para evitar gravidez indesejada.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Vasectomia

5 comentários:

  1. Não sabia q a vasec não era custeada pelos planos de saúde. Que absurdo!

    ResponderExcluir
  2. E depois dos 90 dias recomenda-se fazer o espermograma de tempos em tempos?? Cris

    ResponderExcluir
  3. Aqui em casa já conversamos tbem e será nossa opção a vasectomia tbem! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Pelo que sei, após a vasectomia, se o casal decidir ter filhos, pode ser feita a punção dos espermatozóides e realizar uma FIV.
    Xoxo

    ResponderExcluir
  5. Cristiane, O nosso médico não pediu pra fazer espermogramas posteriores, somente estes de controle (30/60 dias). Thay, existe essa possibilidade mesmo, porém não é tão simples de realizar e o sucesso não é garantido, por isso a decisão de fazer tem que ser bem pensada.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...