quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Nossos Amigos Imaginários - by Josilda

Pois é, há algumas semanas atrás minha sobrinha Mirian, de 3 anos, veio me visitar e trouxe com ela 2 amiguinhos, maaasssss amiguinhos imaginários rrsrs: 1 cachorrinho que ela guarda na sacola e a amiguinha Ana. Minha irmã tinha que ter todo cuidado com a sacola com o "cachorrinho djo djo" dentro.

A imaginação das crianças nesta idade é algo encantador, é uma fase que eles misturam realidade com fantasia e isso propociona momentos lindos de se ver (e as vezes algumas mentiras). Minha filha Aissa Samara com 2 anos nos fazia representar todos os dias a estória dos 3 Porquinhos, e onde ela via " floresta" ela tinha que entrar para procurar "seu LOGO" (lobo). Uma vez ela cismou que ia entrar no livrinho de estória dos 3 Porquinhos, abriu o livro e colocou em cima da cabeça e puxou as páginas, para ela era uma visita aos 3 Porquinhos rsrsrs. Claro que só fez rasgar o livro e muito chororo (tive que comprar outro
livro). Perto dos 3 anos ela criou uma identidade imaginária, ela se transformava em " MINB", de onde ela tirou isso não sei, só sei que nessas horas só atendia se chamasse ela por MINB. Até fiquei preocupada, falei com a professora dela (Cris), que me disse que isso era passageiro, e de fato passou (uffa). A professora também disse que é bom pois exercitando a imaginação ajudaria mais tarde na elaboração de textos, na redação.

Minha sobrinha Gabriela, hoje com 9 anos, andava de mão dadas com a amiguinha imaginária dela quando era menor. Minha irmã ficou preocupada, mas também passou. A imaginação da criança é linda demais, por isso eles conversam com animais e acreditam que os animais falam.

Semana passada fomos a pizzaria com as crianças e lá meu filho Victor Gabriel, com 2 anos e meio, fez amizade com um amiguinho de 7 anos, o Gabriel, brincaram muito, perto de irmos embora Gabriel inventou de brincar de roubar o nariz, ele pegou no nariz de Victor, fechou a mão e deixou o dedão saindo entre os dedos e disse que era o nariz de Victor. Não é que meu filho acreditou? Foi uma correria na pizzaria, Victor atrás de Gabriel para pegar o nariz dele de volta, muito cômico.A inocência das crianças adoçam ainda mais estes momentos lindos e inesqueciveis. Então quando eles se fantasiam eles viram os personagens que estão vestindo, isso é muito lindo.

Acampamento na sala
Mas nem tudo são flores, existe um grande perigo por trás disso tudo. As crianças acreditam nesses superpoderes e isso pode levá-los a acidentes graves. Me recordo agora que meu irmão Josué quando tinha 3 anos (hoje com 28 anos) amarrou a toalha no pescoço e disse que era o super homem e foi pular da escada, pegamos ele neste momento, muito perigoso, e o pior é que eles não avisam pra gente que vão pular, simplesmente pulam. Então apesar desses momentos serem maravilhosos nunca devemos nos descuidar da atenção com eles pois eles podem resolver usar os superpoderes para "voar","pular", "atravessar paredes", "apagar incendios". Ficar de olho na janela, no fogão e etc é sempre importante nestes momentos. Aissa durante um periodo gostava de imaginar que era um pássaro, subia no sofá e pulava (voava), sempre conversavamos dizendo a ela que pessoas não voam. Se você tem em casa um maravilhoso imaginador aproveite ao maximo essa fase gostosa, mas sem se descuidar da atenção e proteção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...