terça-feira, 12 de junho de 2012

Em Busca da Gravidez - parte 3 - by Carol P. (Mamis convidada)

Continuando a série de posts sobre o tratamento para infertilidade de nossa Mamis convidada, Carol P.
Para ler os posts anteriores, clique aqui e aqui.

Fertilização In Vitro - FIV

É um dos métodos de reprodução assistida.
A paciente utilizará medicamentos para a indução da ovulação, de uma forma que ela tenha em média 7 a 12 óvulos e não somente 1 óvulo como no coito programado e até na IA. Isso porque, apesar de a paciente ter essa quantidade de óvulos, não indica que todos estarão perfeitos para a fecundação e, ainda, que todos serão fecundados. A ideia é ter a máxima quantidade de óvulos bom e embriões para a escolha futura.
Normalmente, no segundo dia do ciclo menstrual a mulher realizará uma ultrassonografia transvaginal para verificar a situação do útero e ovários. Não podem haver cistos. Após o exame, deve-se colher uma amostra de sangue para dosagem hormonal que, estando com valores adequados, o médico irá explicar a medicação usada. Existem pacientes que tomam somente o Gonal F, outras tomam o Gonal e algum outro e assim por diante. Cada paciente é um caso e cada médico tem seu protocolo.

As aplicações dos medicamentos devem serem feitas, de preferência, nos mesmos horários. Após alguns dias de medicação o médico vai solicitar nova ultrassonografia para ver a evolução dos folículos. Dependendo do resultado ele pode:
- continuar com a dosagem de medicação,
- diminuir a dosagem,
- já iniciar o bloqueio.

O que seria esse bloqueio? Através de um medicamento injetável, o folículo continua crescendo, mas não rompe para liberar o óvulo. O médico pode sugerir somente 1 aplicação, 2, 3…. tudo depende da situação da paciente.Após o bloqueio a paciente tomará a injeção de HCG que, agora sim, é para romper o folículo e liberar o óvulo. Após essa injeção, normalmente 48h após, o casal vai para a clínica. A mulher precisa estar em jejum de umas 10h, pois ela será sedada.

Enquanto a esposa vai para o "centro cirúrgico" para ser sedada, o marido vai para a sala colher o sêmen como no caso da IA, por meio de masturbação. A esposa tira toda a roupa, utiliza um vestido cirúrgico, touca e sapatinho. Na sala provavelmente estará o médico do tratamento, um médico auxiliar, enfermeira e um médico anestesista. Sim, há a presença de um anestesista. Já devidamente vestida, a mulher é colocada numa maca em pose ginecológica e, normalmente, "amarram" os braços e as pernas por causa da sedação. O anestesista coloca primeiro o soro e, estando tudo pronto ele começa a aplicar o medicamento no qual a mulher irá dormir um pouco.
http://www.gravidinha.com.br/

Agora os 3 médicos trabalham juntos:
- o médico do tratamento vai aspirar os óvulos por via vaginal,
- o médico auxiliar, para que o médico do tratamento possa ver onde ele está com o aparelho da aspiração, fica com um aparelho de ultrassom no abdômen,
- o anestesista vai aplicando o sedativo aos poucos, assim, quando o médico está acabando de aspirar os últimos óvulos ele já vai parando com o sedativo.

Após o procedimento, a mulher fica em repouso por uns 40 minutos e pode ir para casa. Neste dia não é aconselhável dirigir, pois pode-se ter um pouco de tontura.
Ahhh e o sêmen do marido? Bom, após ele ser coletado, a enfermeira leva para a embriologista que vai analisar a amostra e esperar pelos óvulos.

Agora existem 2 caminhos que podem ser tomados:
- FIV tradicional ou
- ICSIS- Intracytoplasmic Sperm Injection

 Só há uma diferença entre elas:
http://conteudoagridoce.blogspot.com/



 Na FIV é colocado milhares de espermatozoides no mesmo recipiente do óvulo e esperam que eles fecundem sozinhos.





http://www.medicaltourismco.com/



Na ICSIS faz-se uma injeção de espermatozoide no óvulo. A embriologista insere um espermatozoide pré selecionado no óvulo e aguarda a evolução.




A única diferença entre as duas técnicas é o modo da fecundação, no demais, os procedimentos são idênticos.

A embriologista observa diariamente a evolução dos embriões: se realmente houve a fecundação, se estão se as células estão se dividindo e outros fatores.

http://www.passeiweb.com/
Após 18h em média, será observado a fertilização, ou seja, se existem 2 núcleos. Daí por diante, a cada dia, as células devem se multiplicar:
1 Dia: 2 células
2 Dia: 4 células
3 Dia: 8 células
4 Dia: compactação das células
5 Dia: formação do blastocisto, quando ocorre a separação para o futuro embrião.

As transferências são feitas normalmente no 2 ou 3 dia, mas há médicos que defendam a tese da transferência em blastocisto.

Normalmente, após o repouso ainda na clínica, o médico ou alguém da enfermagem vem conversar e dizer quantos óvulos conseguiram aspirar e destes, quantos estavam maduros para a fecundação.
No dia seguinte o médico liga para a paciente informando quantos óvulos foram fecundados e quando será a transferência.
No dia da transferência a mulher deve ir com a bexiga cheia, pois no momento da transferência um médico auxiliar, com a ajuda do aparelho de ultrassom, vai localizar o endométrio para o depósito dos embriões. Totalmente indolor e rápido. Se for necessário, após a transferência, será colocada uma comadre onde a mulher poderá urinar, pois ela ainda ficará em repouso por 30 minutos. Após o repouso pode ir para casa. O aconselhável é um repouso moderado neste dia, sem pegar peso, sem ficar se abaixando muito. No dia seguinte é vida normal sem excessos!!!!
Não é aconselhável ter vida sexual nestes dias ok? Isso porque o orgasmo feminino causa contrações no útero que podem expulsar os embriões.


Agora é aguardar os longos 14 dias para realizar o beta HCG.

E quantos embriões devem ser transferidos?
Mulheres até 35 anos - 2 embriões
de 36 à 39 - 3 embriões
acima de 40 anos - 4 embriões
Essa quantidade é pela norma do Conselho Federal de Medicina.
 

Como aconteceu comigo:
Após as tentativas de coito programado sem sucesso, partimos para a FIV. Comprei a primeira parte de medicação e comecei as aplicações. Utilizava o Gonal F (não me recordo a dosagem) + menopur.
Quando fiz o ultrassom para verificar a evolução e quantidade de folículos, enquanto eram esperados uns 7 em tamanhos bons, só haviam 2 bons e 2 pequenos. Meu médico aumentou a dosagem para ver se esses pequenos cresciam. Até cresceram, porém não atingiram o tamanho dos outros 2 e ele me explicou que provavelmente eles não estariam maduros para aspirar. Interrompi a medicação e fui orientada a fazer um exame que avalia a Reserva Ovariana, outro exame em que o convênio não dá cobertura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...