quinta-feira, 17 de maio de 2012

Quando a Tempestade Vem - by Josilda

Há cerca de dois anos participei de um encontro para casais que durou três dias, foram excelentes dias onde recebemos orientações que nos ajudaram a vencer as dificuldades do dia a dia e não permitir que essas dificuldades abalem o nosso casamento. Então já no fim do encontro um casal com mais de 50 anos de casados (um juiz aposentado e sua esposa) começou a contar a sua história, como passaram por 2 ou 3 enchentes e perderam tudo, inclusive em uma das enchentes ela estava com 8 meses de gravidez, e segundo ela, pegou as roupinhas lavou e usou assim mesmo, já que o enxoval ficou todo molhado (e manchado). Então foi um relato de um lindo testemunho de como sobreviveram a varias dificuldades e venceram.

Fiquei pensando então: “nem toda tempestade é destruidora”. Pude perceber que às vezes as dificuldades surgem avassaladoras, destruindo nossas vidas financeiras (o dinheiro não é tudo, mas compra quase tudo rsrs), profissional, matrimonial e até maternal. Nesses momentos vem logo a angustia e sensação de que estamos nos afogando em uma tempestade famigerada, mas paralelo a isso, aprendemos a dar as mãos ao outro, nos aproximamos mais de nosso cônjuge, e aqui vale a pena ressaltar a necessidade de paciência mutua (com o cônjuge e consigo mesmo).

É nas tempestades que nos fortalecemos. Lembro que entrei em uma tempestade daquelas agora em 2011, que coisa horrorosa, ainda estou tomando umas chuvinhas dela, mas nada igual ao ano passado. Mudei de local de trabalho (isso foi ótimo), mas acabei por sair da folha de pagamento por 1 mês (isso foi trágico, mas recebi no mês posterior). Então vivi aquele dilema de mudar de local de trabalho após quase 7 anos fazendo o que gostava, mas acabei optando por mudar (tudo mostrava que seria o melhor) e ai vi que foi melhor, e é engraçado que nestes momentos as coisas parecem só dar errado rssrsrsr.

Pude perceber que na ânsia de fazer sempre o melhor, em algum momento me perdi, só estava vivendo para o trabalho, para família, amigos, mas para mim mesma nada.
Venho aprendendo que preciso viver pra mim mesma, isso não é esquecer da família e trabalho , é não se deixar ficar no fim da fila da sua vida. É programar para sair de vez em quando, ir à academia, ir ao salão de beleza, sair com amigas. Então apesar de ser uma tempestade aprendi a ser forte com ela, a confiar mais ainda em Deus, e sei que, com toda certeza, a tempestade passa e chega o bom tempo. Sempre sairemos fortes da tempestade se não desistirmos e deixarmos levar pela fúria aparente. O sol sempre brilhará, não importa a intensidade da chuva, ele sempre brilhará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...