terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Brinquedotecas, como lidar com crianças mal educadas! - by Roberta Groba

elshadaifestas.blogspot.com

Olá leitores!!
Fim das férias e tudo voltando a rotina, como dizem tudo volta a funcionar de verdade depois do Carnaval.
Passei uma parte dessas férias no Rio e como estávamos em família fomos a vários lugares onde encontramos a famosa brinquedoteca. As crianças já saem de casa perguntando se tem lugar para brincar!!

E assim fomos e logo encontramos nossa primeira brinquedoteca. Uma pizzaria muito agradável e procuramos um mesa perto para observar os pequenos sem ter que andar o restaurante inteiro. Eles mal comem e já querem ir brincar!!

O lugar era bem interessante muitos brinquedos, de todos os tipos e para todas as idades. O que faz a gente ficar com o cabelo em pé por causa de algumas peças miúdas. Mas até aí tudo bem, conseguimos driblar esse obstáculo!! E então começa a parte, que eu particularmente detesto, observar as crianças e "proteger" nossos filhos. Eu falo proteger porque ninguém gosta de ver o filho ser empurrado, mordido, etc.. Até me lembrei de um post de nossa amiga Anne!!! E também cai no post da nossa amiga Aline (do dia 24/02) onde ela fala sobre educar filhos e impor limites.

Nesses lugares vemos crianças completamente desprovidas de limites e educação; alguns podem até falar são crianças não sabem ainda. Mas eu acho que educação vem de berço, é de pequeno que se ensina as coisas. Como uma criança fica batendo, empurrando e arrancando os brinquedos dos outros e os pais ficam parados olhando como se nada estivesse acontecendo, na minha opiniâo estão contribuindo para que aquela criança cresça achando que pode tudo!!

midiagospel.com.br
Eu vi isso acontecer em vários lugares desde brinquedotecas a parquinhos grandes até. Como lidar com essa situação, muitas vezes tive que intervir (não sei se fiz certo ou não) pois a situação estava chegando ao limite e me desculpem os que não concordam mas primeiro minhas filhas. Em um dos restaurantes, o menino agarrava o braço da Maria Clara e sacudia para lá e para cá que meu marido não se segurou e foi falar. Essas situações me fazem questionar o quanto devemos proteger nossos pequenos, até aonde devemos ir. Se ensinamos aos nossos a respeitar filas, a dividir os brinquedos, a ter limites e a saber que o direito deles termina aonde começa o do outro; o que fazer?

Isso me deixou preocupada e me fez questionar algumas coisas!!
E vocês? Já vivenciaram esse tipo de situação? Como reagiram?
Vamos trocar experiências!! Gostaria muito de conhecer a opinião de vocês.
Um abraço e até a próxima.

2 comentários:

  1. Amiga eu nesses lugares estou sempre de olho tbem, p evitar q a Isa queira algo que outra criança esteja brincando...eu sempre me preocupo mais com ela sabe....é claro q se alguma outra criança, empurra ou a deixa em situação q possa machucá-la eu vou lá e tiro ela de perto dessa criança e pronto....mas o que me preocupa sempre é o comportamento dela, mesmo ela sendo um amor de criança, criança é criança né???? Como vc bem disse, se cada "pai" fizesse sua parte as crianças seriam bem mais tranquilas....

    ResponderExcluir
  2. Situação super difícil né, bom, quando eu vejo alguma criança assim eu não falo nada pra criança mas prefiro tirar a minha de lá... E qdo a minha filha resolve bancar a dona do pedaço eu converso com ela e se ela não melhora, eu tiro ela de lá tb...rs...
    Mas já vi uma amiga sofrer com uma mãe bem louca... o filho da mulher batia em todo mundo no brinquedo. a mãe do menino sentada na frente dele e não fazia nada... e qdo foi bater no filho da minha amiga ela foi falar com a criança. A mãe dele veio dizendo horrores pra ela, que ficou super com vergonha, pegou o filho e foi embora...
    Enfim, acho que qdo estamos entre amigas, vale falar alguma coisa, mas com estranhos é difícil. O mundo anda muito violento.
    Bjs, Andreia.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...