terça-feira, 6 de dezembro de 2011

O Colo - by Cristina Mara (Mamis Convidada)

Oi pessoal, meu nome é Cristina Mara. Sou amiga da Thanira e seguidora do blog e fui honrosamente convidada para escrever aqui hoje. Quanta importancia e responsabilidade. Sou psicóloga e a 12 anos atendo crianças e adolescentes. Sou apaixonada pelo que faço e agora resolvi abraçar um sonho antigo... ESCREVER. Dividir o que sei, o que penso e o que estudo com cada um de voces. Tarefa que requer muita paciência e dedicação. Como disse, sou apaixonada pelo tema infancia e escolhi escrever aqui algo relativo a este assunto. Claro que é tambem uma homenagem a Thanira por estar grávida pela segunda vez.

O COLO

"Quando nasce um bebê surge todo tipo de opiniões a esse respeito. Uns dizem que o bebê precisa de muito carinho. Que sentirá desamparado se não ficar muito tempo no colo. "Tadinho". Ou então, "não, se ficar dando colo ele vai ficar mimado, manhoso, um filhinho de mamãe. Deixe-o no berço..."

É melhor pegar um atalho ao largo dessa discussão e tentar imaginar o que se passa. O bebê viveu nove meses no colo. E, de repente, saiu dele. Sem dúvida em alguns momentos terá saudades e ficará feliz em saber que não está de todo sozinho. Em outros, estará distraído na cama ou berço, pensando em sabe-se lá o que, olhando o mundo novo à sua volta.

Por sua vez, a mãe carregou o filho no colo durante nove meses, e em algumas ocasiões terá ficado cansada e impaciente com isto. Em outras ocasiões, terá gostado. Depois do parto, passará por momentos de saudades do filho pertinho, e por outros em que estará completamente indisposta a pegá-lo.

Quando coincidirem a vontade de colo da mãe e do filho, ou do pai e do filho, sem dúvida surgirão momentos inesquecíveis, que deixarão saudade e alegria para o resto da vida. Mas, às vezes, a criança quer colo, e a mãe não. Neste caso, pode ser conveniente pedir ao pai ou a outra pessoa para socorrer o filho. Talvez a mãe tenha que dar colo mesmo sem vontade, porque o bebê está dizendo que precisa muito através do choro. E, em outras o filho ficará sem colo, apesar de sua vontade, se a mãe perceber que este não é imprescindível naquele momento.

Alias, nem todo choro significa colo. Algumas vezes o bebe ficará satisfeito apenas com a voz da mãe ou mesmo com o som de uma musica bem baixinho. Se a mãe se obrigar a pegar o bebê no colo sempre, acabara se sentindo tão desgastada que terá dificuldades em curtir o colo atá quando estiver com vontade.

Por outro lado, algumas vezes a mãe ou o pai ou alguma visita terá vontade de pegar o bebê no colo, numa hora em que ele está tranquilamente dormindo ou brincando, sozinho. Se isto não for um desejo imprescindível, valerá a pena deixá-lo quieto e adiar um pouco a vontade. O que traz confusão para o bebe é exatamente querer e não ter e não querer e ter. Isto deve ser evitado sempre que possível. Isto é uma questão de limites."

(Texto extraido do livro: Toques sobre os cuidados do bebê, Dr. João Claudio Lara Fernandes, Editora Espaço e Tempo)


Este tema é amplamente discutido e comentado tanto no consultório quanto em casa mesmo. Pode pegar ou não um bebê? Pode ficar no colo ou no berço?Tão pequenininho? Fica manhoso ou não? Depois ficará uma criança insuportável! O bebê só vai querer dormir no colo e a mãe não vai conseguir descansar um pouco... e por ai vai. O tema é polêmico e o texto acima aborda questões fundamentais do ponto de vista de um médico experiente.

Eu penso neste assunto sempre que vejo um bebê e uso sempre a frase do pediatra do meu filho: BOM SENSO SEMPRE!!!! Não temos regras rígidas em relação ao colo para o bebê. Acredito mais na intimidade, na experiência adquirida no dia a dia, nas incertezas de uma mãe inexperiente ou de segunda, terceira viagem. Tudo vale a pena e penso que se a criança não estiver sofrendo, um colinho não faz mal algum. As vezes só pegar o bebê só um pouquinho já resolve o problema. Não conheço ninguém que diga que há alguma criança de 7, 8 anos que é manhosa porque ficou muito no colo durante a fase de bebê e sim por falta de limites na vida. Mas, isto já é uma outra questão.

Beijos e até uma proxima!!!
Cristina Mara

4 comentários:

  1. Oi Thany, adorei seu post justamente pq em minha família muitas pessoas pitacam sobre "como fazer isto ou aquilo" e eu sempre vou pelo bom senso, respeitando o bebê. Aqui em casa minha filha é bem idependente, com 4 meses não ninamos para dormir e nem sempre está no colo, mas, quando ela quer estamos prontos a acarinhá-la e nos sentimos muito bem cm isso.

    ResponderExcluir
  2. Quanta honra ver meu texto publicado. Estou muito feliz!!! E mais um sonho realizado. Quero dizer que estou a disposição pra responder perguntas e duvidas sobre o tema. Bjim a todas as amigas do blog mamis e claro, em especial a Thanira, uma amiga que sabe apoiar os sonhos realizados. Cristina

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto. Aqui eu dou colo sempre que o FH pede, mas sempre usando o bom senso mesmo. Quando eu percebo que é só manha dele, prefiro não dar, pra não estimular essa manha, já que manha é o primeiro passo pra depois fazer birra, ai, ai. kkkkkkkk
    Beijos!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Adorei o texto!
    Li tantos artigos sobre deixar o bebê chorar, não ninar, etc e segui a minha intuição pois como dizem, na prática a teoria é outra rss
    Dei colo quando achei que ele precisava, ninei quando queria fazer um mimo a mais, acariciei a cabeça pra fazê-lo dormir e nada disso o tornou mimado e dependente. Ele não gosta de dormir no colo (talvez por causa do espaço), durante o dia adormece no berço sozinho mas à noite gosta de curtir o colinho da mamãe e só dorme quando me deito ao lado dele e ficamos juntos até ele pegar no sono.
    Sou a favor do equilíbrio sempre e fala sério, colo é bom demais. Se é bom e de graça, porque negá-lo? Até nós gostamos de um colinho de vez em quando rssss
    Beijos!
    Mi

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...