sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Meu bebê cresceu - by Aline Martins

Semana passada, no feriadão, pentelhei o marido pra levar o FH pra cortar o cabelo. O cabelo dele é bem fino, liso e enrola as pontinhas. Então imaginem como faz nó quando cresce muito né? E imaginem a novela que vira pentear esse cabelo todo dia? Hehehe
Nem foi a primeira vez que ele foi cortar o cabelo. FH nasceu muito cabeludo (lê-se muuuuiitaaa azia no final da gravidez), e mesmo tendo perdido boa parte do cabelo do nascimento, ele ainda continuou muito cabeludo sabe? Esse já foi o terceiro corte de cabelo e geralmente a gente manda cortar bem curto, pra ficar bastante tempo sem precisar de um novo corte.
Mas dessa vez FH perdeu a cara de bebê dele e virou um rapaz, literalmente. Está com uma tremenda cara de hominho. Eu já havia reparado que meu bebê não era mais bebê. Que está ficando mais independente, que começou a escolher o que quer e o que não quer fazer. Ele já escolhe o que quer assistir na TV, o que quer lanchar, e onde quer passear (acho lindo ele pedindo pra ir no “popi” – shopping, grita até “viva, popi”). Decide se quer ou não tirar a camiseta e até a fralda, imaginem!
FH já não quer mais dormir na cama do papai e da mamãe. Ele ama a nossa cama, mas pra brincar, fazer bagunça, brincar de cabaninha ou ver desenho com papai e mamãe, dormir, é no berço dele que ele quer agora. Também, por conta própria, me surpreeendeu abandonando de vez o bico da mamadeira, mesmo o dele sendo aquele de treinamento, e passando para o bico de copinho tradicional. Isso para o leite, para a água e o suco, ele já prefere o copo normal mesmo, e segura sozinho. Acho que assim ele toma mais água, deve ser isso.
Mas às vezes é difícil pra nós, mães, admitir e aceitar que nosso bebê cresceu e que não temos mais um bebê em casa. Eu só admiti finalmente para mim mesma depois que ele cortou o cabelo. Foi quando minha ficha finalmente caiu e agora eu não digo mais que eu tenho um bebê, eu tenho um filho, um menininho lindo de 1ano e 10 meses em casa. Você pode até achar meio precoce, é, ele ainda não fez 2 anos, mas isso foi algo natural em casa. Ele foi dando os sinais e eu fui observando, prestando atenção nele e tive que admitir que ele cresceu. Mesmo parecendo um tanto precoce aos olhos de terceiros.
Na minha opinião é melhor pra mim e pra ele constatar isso e aproveitar essa nova fase que bate a nossa porta, tão boa quanto a primeira de bebê, imagino e assim espero, do que continuar tratando-o como um bebê e isso atrapalhar o desenvolvimento dele futuramente. Sim, isso atrapalha. A infantilização exagerada no tratamento da criança pode atrapalhar o desenvolvimento motor e social da criança, até mesmo em suas formas mais graves.
Eu vejo muitas mães entrarem em depressão profunda e perderem o sentido da vida depois que os filhos crescem e seguem sua vida. Eu não quero passar por isso. Quero muito aproveitar cada fase do meu filho e saber aceitar quando ele se tornar adulto e querer viver sua vida sem depender de mim. Quero estar preparada pra isso, pra poder compartilhar os momentos da vida dele com ele de uma forma diferente. E sei que isso não é tarefa fácil. Mas sei também que esse aprendizado do futuro começa agora, admitindo que meu bebê cresceu e sabendo lidar com essa nova etapa da nossa vida.
E você, já constatou isso em casa também? Como foi esse processo com você?
Beijos, Aline!

2 comentários:

  1. Ai amiga, esse é um fato que a gente nem quer saber mas chega tão rápido. Ontem eram nossos bbs e hj já estão independentes!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada amiga, pelo comentário. Já estava achando que ninguém tinha gostado do meu post, já que ninguém comentou nada, snif, snif!!!!
    Te adoro!
    Beijos!!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...