segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A magia de um bebê - by Alê

Olá meus leitores queridos!!!!
 
Quando resolvi ter um bebê eu simplesmente não imaginava o que estava fazendo. Não sabia que ia ser conduzida na mais louca e bela viagem à terra do amor. Um lugar que sempre esteve aqui, dentro de mim, apenas esperando que uma criança abrisse a porta. E  Anna Laura abriu...
 
É um lugar onde o amor começa e não tem fim, que quanto mais se doa mais se tem de volta!
 
Me faz lembrar que já fui igual a ela, pequena e indefesa e consigo reencontrar a criança que ainda tenho dentro de mim. Olho pra minha mãe de uma forma nova e compreendo o valor e o significado do sentimento deles por mim.
 
O que não me surpreendia antes, hoje se torna maravilhoso aos meus novos olhos, como minha bebê me ensina tantas coisas, coisas que não imaginava que um ser tão pequeno poderia ensinar! Ensina como uma casa fica tão aconchegante quando está desarrumada, o quanto é bom ouvir ela chamando mamãe no meio da madrugada quando estou no melhor sono, simplesmente pra ajudar a procurar a "bibi" no berço, e ainda aprender que o curto tempo que tenho, tão importante para mim, não vale nada pra ela, tenho que estar disponivel à sua vontade! rs
 
Os bebês afloram em nós, mães, sentimento tão mágico, por um brevíssimo lapso de tempo, de que somos a única pessoa que importa no mundo, onde ninguém terá tanto poder, onde ninguém é mais rico, onde ninguém sabe mais que nós, pobres mães infinitamente sonhadoras. O mundo se transforma quando acompanhamos nosso bebezinho não é verdade? É uma felicidade que nos faz parar para observar o caminhar de uma formiga, o voo de uma borboleta e o passo ligeiro de uma lagartixa!
 
Descobrimos que a poça d'agua foi feita para pularmos nela... não para saltarmos por cima, que a areia é mais gostosa com os pés descalços e que é tão divertido caçar minhocas!!
 
Ter um filho é o maior desafio que enfrento, pois sua inocência espera, no silêncio, e com confiança que eu faça dela a melhor obra de toda a minha vida. Muitas vezes eu parei para pensar e me perguntar como foi que me ocorreu em me aventurar nesta viagem, no qual tanto se espera de mim, na qual exigências e obrigações me causam tanta angustia. Até hoje não sei a resposta.
 
E foi a decisão mais maravilhosa que tomei na minha vida, e eu não abro mão de embarcar novamente nessa viagem única à terra do amor, escondida no ponto mais pronfundo do meu coração. é um circulo infinito de amor recíproco que vai nos nutrir por toda a vida.
 
Grandes beijos da mamãe Alê
 
 
 
 
 
 
Esse post foi inspirado e readaptado a partir de um texto da Susan Squellati Florence.

3 comentários:

  1. Lindo post. Eu não sei como pude viver tanto tempo sem sentir esse amor que sufoca, sem ter preocupações que me afligem a todo instante, sem ninar um ser tão doce, sem ouvir mama por mil vezes e querer ouvir mais mil, Deus me presenteou com o Gabriel, meu anjo!

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Me identififiquei totalmente com esse post! E agora tô sofrendo porque tenho que passar dois dias longe de minha bebê em algumas semanas do mês! É uma dor que não tem explicação!

    ResponderExcluir
  3. Nossa Alê q post lindo!!! Amei....é bem tudo o q eu sinto! Bjos

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...