quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Mamis convidada - A culpa é da mãe? - by Michele Santos (Mamis Convidada)

Hoje vamos abrir um espaço para uma #mamis leitora, convidada para escrever sobre um post sobre maternidade. Se você também quiser postar, é só entrar em contato conosco. Vamos adorar ter sua participação no nosso cantinho!

Quantas de nós não já ouviu essa frase?
Se a criança vai mal na escola, a culpa é da mãe.
Se está gordinha, a culpa é da mãe.
Se está muito magrinha, a culpa é da mãe.
Se faz birra, a culpa é da mãe que não disciplina.
Se adoece, a culpa é da mãe que não cuida direitinho.
Se uma criança mal comportada apronta em uma festa ou na rua, logo lançam a sentença: “essa criança não tem mãe?”

Seja qual for o problema, se algo deu errado, a culpa sempre é da mãe. Vivemos em uma sociedade machista (ainda com a cabeça de 1900 e antigamente) onde acredita-se que toda e qualquer responsabilidade sobre os filhos é da mãe.
É claro que nossa responsabilidade é grande e damos o nosso melhor não só pra responder a essa cobrança da sociedade, mas também para o bem de nossos pimpolhos.

Mas quando algo dá errado, será que a culpa é da mãe mesmo?

Essa semana conversei com duas mamães que estavam arrasadas por não conseguirem dar conta de tudo. Uma porque o bebê chora demais e aí dizem que a mãe que dá manha, a mãe não o corrige, a mãe não faz nada que é certo. E por conta do chororô do pequeno, ela não consegue arrumar a casa, cuidar do filho mais velho, ser a super esposa e por isso ela se sentia angustiada e infeliz. E outra que o filho tirou nota vermelha na escola, o que a fez se sentir a pior das mães.
Como me disseram uma vez, ser mãe é comprar passagem só de ida para o país da culpa.

Mas será que precisa ser assim mesmo?
A resposta é: não!

Primeiramente precisamos entender ao concebermos um filho, não somos transformadas em nenhuma divindade poderosa que não vai errar nunca! Crescemos com nossos filhos, aprendemos com eles e aprendemos tanto com nossos erros quanto com os acertos.

Mas se você já se sente assim, aí vão algumas dicas:

1) Liberte-se da culpa!
O primeiro passo para largar a angústia que a culpa traz, é libertar-se dela. É fundamental que a mamãe aprenda que os filhos são orientados, bem cuidados, bem ensinados, mas não temos total domínio sobre eles. E que bom que é assim porque senão não seriam humanos, seriam marionetes rss Então notas vermelhas poderão aparecer, algumas birras também, algumas doenças vão nos tirar o sono. Mas encare com naturalidade entendendo que isso faz parte do crescimento e desenvolvimento deles.

2) Não se cobre tanto!
É difícil uma mãe entender que não precisa exigir tanto de si mesma. Mas o sentimento de culpa só traz tristeza, insatisfação e se a mamãe mergulhar nisso, acabará focando tanto no problema que esquecerá as coisas boas que tem acontecido, do que tem dado certo e até mesmo da magia do sorriso dos filhos. Tentaremos acertar sim, mas buscar um perfeccionismo louco, não.

3) Se aconteceu de fato um erro, aprenda com ele!
Ao invés de ficarmos nos lamentando quando algo errado acontece, devemos aprender com o erro e não voltar a cometê-lo. Certa vez deixei meu pequeno na cama brincando e num cochilo que dei, ele caiu. Fiquei arrasada, com as pernas bambas, mas aprendi: deitar com ele na cama sem o apoio no canto, nunca mais.

4) Divida a carga com o papai
Precisamos aprender a dividir os cuidados dos filhos, principalmente no que diz respeito à educação e disciplina, com o papai. Alguns papais são omissos e/ou algumas mamães assumem toda responsabilidade pela educação do filho. Mas isso está errado. É preciso que haja sintonia entre o casal e o entendimento de que a criação dos filhos é de responsabilidade de ambos, não única e exclusivamente da mãe.

Bom, eu poderia citar muitas dicas aqui mas sobretudo mamães, não se cobrem tanto assim. Criar filhos é uma jornada linda, um grande desafio e como em qualquer percurso, muita coisa pode sair conforme nós planejamos mas nem sempre será assim. Não há razão para buscarmos um perfeccionismo desenfreado que só nos fará mal. Dê o seu melhor sim, mas entenda que nem tudo será perfeito. Quando a culpa quiser atormentá-la novamente, jogue-a pra bem longe, aprenda com o erro mas não permita que isso tire o brilho e alegria dessa grande aventura de ser mãe.


 Um grande beijo a todas as companheiras de jornada,



Carioca, mamãe do Pedro, Flamenguista assumida, Analista de sistema nos momentos de folga, e usou a temperatura basal para engravidar.

5 comentários:

  1. Mi, adorei o post.
    Realmente, nós, mães, temos a tendência de nos sentir culpadas por tudo mesmo. Mas a vida não é assim em nenhum momento, que dirá com os filhos? Ótimas dicas!
    Beijos!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Ótimas dicas Mi... Nos sentir culpadas é inevitável quando nos tornamos mães, mas dá sim para diminuir essa culpa com essas atitudes.. um grande beijo...

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post Mi e concordo com vc liberdade da culpa para as mamães!!!

    ResponderExcluir
  4. Esse texto me tocou profundamente. Ontem mesmo estava chorando pois me senti culpada por deixar meu filho resmungar muito enquanto fazia as tarefas. Até minha sogra disse que não deveria deixar ele chorando por causa do serviço. Sabemos que não é simples assim né? Mas este texto me aliviou a alma. Amo vc Mizinha!

    ResponderExcluir
  5. Responsabilidade sem culpas...pra mamãe e pro papai também...claro!!! bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...