quinta-feira, 15 de setembro de 2011

As preocupações de uma mãe que trabalha fora - by Aline Berg

Bom dia queridas leitoras!

Na terça-feira, o trabalho me deu uma trégua e eu estava lendo o post da nossa amiga Roberta Groba, sobre o dia a dia das crianças. Ela que tem duas filhas em idades diferentes, sabe bem qual é a rotina dessas pequenas e também todo o trabalho que dá conduzir este dia a dia. Afinal, 90% das atividades infantis, que não seja brincar, somos nós pais/mães, que temos que conduzir ou orientar. E sabemos bem que na maioria das vezes isso acaba sendo "responsabilidade" da mãe.

Daí que me ocorreu um pensamento preocupante: a Sophia vai crescer. E quem é que vai cuidar dela? Obviamente, que seremos eu e o papai. Mas digo, nas coisas do dia a dia...
Eu e meu marido trabalhamos na mesma empresa. O nosso horário é de 7:30 as 17:0h de segunda a sexta. Hoje ela fica na creche o dia inteiro. Nós a levamos de manhã, antes de ir para o trabalho e a buscamos no final do dia, perto das 18h. Lá ela brinca, almoça, toma banho e já está na escolinha, no horário da tarde. No fim do dia, as tias dão banho e janta. A gente pega ela e chegando em casa é só curtir enquanto não dá a hora dela ir para a cama.

Mas ela vai crescer e essa rotina vai mudar, vão chegar os deveres de casa, as provas, as atividades fora da escola e etc...  A creche só vai até os sete anos e eu duvido que qualquer criança já nesta idade, ainda queira ficar na creche!
Aí é que o bicho pega! Como é que a gente faz com uma criança de sete, oito anos (e daí pra frente) em casa, se a mamãe trabalha? A primeira coisa que nos vem á mente é: arrume uma empregada ou uma babá. Claro! Tudo resolvido! Não.
Essa é exatamente a parte que me preocupa: tirar uma criança de toda a organização e estruturação que (mal ou bem) toda creche tem: horários, alimentação, atividades, coleguinhas... Para ficar em casa, fazendo o quê? É claro que nesta idade toda criança já tem seus afazeres, seus amiguinhos, seus horários. Mas, as pequenas coisas do cotidiano como, tomar banho, almoçar, fazer o dever de casa, se arrumar para ir á escola, ir á escola, nesta idade ainda precisam da supervisão forte de um adulto e eu tenho medo de não encontrar este adulto que poderia ficar tomando conta da Sophia para que ela possa ter uma rotina regrada e organizada e que possa orientá-la nos horários em que eu não estarei em casa.
Será que ela vai se alimentar corretamente? Será que ela vai ficar brincando na rua? Será que ela vai para a escola no horário certo? São dúvidas que parecem idiotas, mas sei que são as falhas de supervisão e orientação nas coisas mais bobas, no que se refere a educaçao e criação, que podem expor a criança ao perigo ou que podem interferir negativamente no desenvolvimento de uma criança ou de um adolescente. A gente pisca os olhos e tem um filho mal educado, que não passou de ano, que se envolve com pessoas que são má influência.

Eu fico muito preocupada em ter que deixar a minha filha sob os cuidados de outra pessoa. Mas infelizmente, abrir mão do emprego ainda não é uma opção possível para mim.
Sei que nós teremos as nossas horas à noite, depois que eu chegar do trabalho, quando vou poder ajudá-la a fazer o dever de casa, estudar, arrumar a mochila para o dia seguinte, brincar, fazer companhia. teremos os finais de semana e até mesmo os horários de almoço (o que considero um privilégio, pois podemos almoçar em casa devido à proximidade com o local de trabalho). Mas ainda acho pouco, perto deste universo tão vasto que é a vida de uma criança.

Talvez este seja o preço da independência feminina, talvez este seja o reflexo de uma sociedade onde a possibilidade de deixar o emprego ou ter um trabalho com horários flexíveis não é um privilégio para todos e que marido e mulher precisam trabalhar para manter o padrão de vida da família.
Nem sei se eu gostaria de deixar o emprego para ficar só em casa. Certamente não! Mas se eu tivesse a possibilidade de ter um emprego com horarios flexíveis ou com a carga horária reduzida, mesmo que isso custasse a redução do salário, acho que seria uma boa oportunidade para participar mais da vida da minha filha e poder dar o suporte que só nós pais, podemos dar para os filhos.


E aí mamães, vocês também já pensaram nisso? Ou será que eu estou sendo paranóica demais?...rs...



Bom, hoje é o meu último dia de postagem como participante fixa do Blog Mamis. 
Por conta do tempo curto (que não é privilégio só meu...rs...) e da minha rotina ultimamente, eu estou deixando de participar como autora, para participar como colaboradora.
É claro que não vou abandonar vocês, nem as minhas queridas mamis. Mas por enquanto, vou passar a publicar com menos frequência e provavelmente em outros dias, que não a quinta-feira. Mas isso não vai mudar nada. Eu continuo por aqui e o Blog Mamis continua crescendo.
Agradeço carinhosamente a cada leitora que leu os meus posts e que participou colocando seus comentários. São vocês que fazem a gente querer crescer e avançar cada vez mais.

6 comentários:

  1. Nem me fala, este assunto é de levantar os cabelos, rs. sou assim como vc preocupadisssima... Optei ultmamente a lecionar só um período por causa do meu filho... Mas qto mais cresce mais dá medo né?? bjo da Cris

    ResponderExcluir
  2. Oi flor!!! Essa é a preocupação mor da minha vida!!! Hj as crianças ficam com a minha mãe em tempo integral. A Ceci que tem 3 anos vai a creche mas apenas no período da manhã. Mas pensamos em nos mudar, e qdo isso acontecer minha mãe não ficará tão perto. Aí o bicho pega. Essas são preocupações reais, e toda mãe passa por ela. Espero que consigamos resolver tudo da melhor maneira pra que nossos filhos fiquem sempre bem!! bjus

    ResponderExcluir
  3. Vixe, eu não penso muito nisso não. Acho que quando chegar a hora cereta eu vou saber dar um jeito, o melhor possível. Porque eu não vou parar de trabalhar mesmo, não só porque eu preciso financeiramente, mas porque eu preciso emocionalmente, então não adianta eu sofrer por isso agora. Se fosse pra eu parar de trabalhar, preferiria agora, que ele ainda é bem pequeno e muito dependente do que mais tarde.
    São os "louros" que colhemos por um dia termos botado fogo no sutiã kkkkkkkk
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Amiga ja pensei tanto nisso q já arrumei uma solução, bem americana diga-se de passagem, a Isabela estudará em periodo integral...aqui em Goiania temos 8 escolas q oferecem essa opção, uma melho q a outra e eu inclusive ja fiz minha escolha.....na escola de periodo integral, ela estudará pela manha e terá as rotinas a tarde, como aula de ingles, dança nataçao, musica, confeitaria, as opções são infinitas e cabe a nós e a ela escolher e montar os horarios dela, alem disso essas escolas mantem a mesma rotina da creche em relação as alimentações acompanhadas por nutricionistas, os horarios de brincadeiras, Tv e sonecas.....no meu caso que trabalho longe de casa em uma cidade que o transito é infernal acredito ser a melhor opção...

    ResponderExcluir
  5. Realmente isso deixa muitas mães preocupadas mas tenham calma que tudo se ajeita. Parece que as coisas vão girando de forma a se moldar com nossas necessidades!! Pelo menos isso acontece aqui em casa!!
    ´Bjos

    ResponderExcluir
  6. AlineB, como disse a Roberta Groba, calma que tudo se ajeita. E pra que sofrer com antecedência? Vai que vc muda de emprego até lá? sei lá essas coisas acontecem, afinal ainda faltam mais de 5 anos pra So fazer 7! rs
    Só se preocupe em atravessar o rio, quando chegar perto dele!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...