quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Homenagem de dia dos pais - by Luana

Como domingo será o dia dos pais, resolvi prestar uma homenagem a todos os papais, leitores ou maridos de leitoras do nosso bloguinho, com essa historinha escrita por Antônio Brás Constante. Tenho certeza que muitos papais já lidaram com essa situação, e senão, com certeza logo vão passar. Beijocas!

BRINCADEIRA DE CRIANÇA
(Autor: Antonio Brás Constante)
- Pai? Paiê? Vamos brincar de lutinha?
- lutinha?
- É Pai, de lutinha, como na TV. Vem, Vem! – Eu vou te jogar um raio, que nem o Pikachu faz. – Tchu! Tchu! Tchu!
- Isso é um raio filho?
- É pai, por que?
- Não, nada. Só não sabia que o raio era cuspido no adversário.
- Vai pai, atira um raio tu também.
- Ok. Deixa ver...Vou lançar o raio do gordo desajeitado. - Kirraaaaaaa!
- Não pai. Não existe raio assim. Tem que ser um que nem no YU-GI-HO.
O pai lembra então dos desenhos de sua infância, que eram mais simples e com nomes mais fáceis de se pronunciar e de escrever. Agora para a nova geração, as histórias eram mais complexas (bem mais complexas), onde a trama era um tipo de jogo, disputado com cartas, como num jogo de baralho, porém totalmente diferente.
A energia do filho é incrível. O pai pensa em utilizar alguma estratégia para convencê-lo a dormir. Quem sabe se argumentar que a cama é uma nave ou uma caverna, poderia conseguir uma chance de fazê-lo deitar e quem sabe até pegar no sono.
- Agora eu me transformei no terrível monstro de pedra, filho. Vou capturar você e prendê-lo no presídio-cama, trancando-o com o cobertor paralisante.
- Escapei pai. Vem, vamos continuar brincando.
Não adiantou, antes era mais fácil. Aos dois anos era relativamente simples levá-lo para dormir. Aos três começou a ficar complicado. Agora aos quatro, a tarefa era quase impossível.
Os dois correm pela sala, um berrando de alegria e o outro bufando de cansaço. Alguém buzina na frente da casa, era o entregador de pizza. "Estou salvo", pensa o pai. Bendita a hora que encomendei uma pizza grande para o jantar.
O dia termina. Para a criança a tristeza do fim da brincadeira. Para seu pai, a dor nos pés e nas costas. O stress do dia finalmente derruba o guerreiro. Agora enfim o repouso merecido. Ele fecha os olhos e então escuta uma voz infantil lhe sussurrando:
- Faz pra mim um mamazinho, papai?

Essa é uma homenagem ao papai da Camila em periodo integral, e meu marido nas horas vagas

7 comentários:

  1. Lindo, lindo! amei a história! Com certeza, a hora do sono é sempre um problema kkkkk O Francis é u mtremendo paizão!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Que amor...pai em tempo integral//bjocassss

    ResponderExcluir
  3. adorei o pai em tempo integral...
    rsrsr
    linda homenagem amiga
    beijoox

    ResponderExcluir
  4. Olá jovens de todas as idades deste blog de mamães,
    Primeiramente gostaria de agradecer a publicação de minha singela pérola textual em seu blog. E convidar vcs para conhecerem outros textos de minha autoria no meu blog abrasc.blogspot.com ou se quiserem dar boas risadas olhar o vídeo de humor que fiz e postei no youtube: "3D - hoje é seu aniversário", é bem ao estilo pastelão e tenho certeza que vão gostar.
    Grande abraço deste eterno aprendiz de escritor.
    ABC

    ResponderExcluir
  5. Oi Antonio, esse texto seu é maravilhoso, obrigada pelo recadinho, e claro que vamos acompanhar sim o seu blog. Forte abraco.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...