sexta-feira, 29 de julho de 2011

A importância dos avós - by Anne

Que eles tornam a vida dos netos mais doce, todo mundo sabe. Isso já foi até comprovado cientificamente.

E assim ganharam até um dia próprio: o Dia dos Avós, comemorado em 26 de julho, última terça-feira.

A autora do Livro dos Avós. Na casa dos avós é sempre domingo? destaca ainda que é na relação com os avós que as crianças aprendem a lidar com os mais velhos, se preparando para uma futura relação com os próprios pais, que também irão envelhecer. “As crianças levam essa lição para a vida toda” conclui.

Para a psicóloga e psicoterapeuta Lídia Rosenberg Aratangy o papel desempenhado pela avó, e também pelo avô, é determinante no desenvolvimento da criança como um indivíduo consciente de si mesmo. “Os avós são os únicos depositários da história dos pais. Eles carregam e transmitem a história da família. E nós sabemos que para ter equilíbrio emocional, você deve saber quem é, de onde veio e para onde vai. Os avós personificam essas orientações”, ressalta a especialista.

Relembrando as sábias e intrigantes palavras de Rachel de Queiroz em seu texto "A arte de ser avó:"

Rigorosamente, nas suas posições respectivas, a mãe e a avó representam, em relação ao neto, papéis muito semelhantes ao da esposa e da amante nos triângulos conjugais. A mãe tem todas as vantagens da domesticidade e da presença constante. Dorme com ele, dá-lhe banho, veste-o, embala-o de noite. Contra si tem a fadiga da rotina, a obrigação de educar e o ônus...
..de castigar. 

Já a avó não tem direitos legais, mas oferece a sedução do romance e do imprevisto. Mora em outra casa. Traz presentes. Faz coisas não programadas. Leva a passear, "não ralha nunca". Deixa lambuzar de pirulito. Não tem a menor pretensão pedagógica. É a confidente das horas de ressentimento, o último recurso dos momentos de opressão, a secreta aliada nas crises de rebeldia.

As memórias da família ficam preservadas e, ao mesmo tempo, aparadas as arestas. Acima de tudo, são proporcionados às crianças momentos preciosos, que também entrarão para a história. No futuro, esses momentos farão parte das histórias que os netos, já adultos, contarão a seus filhos, netos, e, quem sabe, bisnetos!

O pequeno não pode conviver exclusivamente com pai e mãe, onde tudo é proibido e as regras são, na maioria dos casos, as mais rígidas. A presença da avó serve para relaxar pais e filhos”. Quando a relação de vós e netos é regida por essa amizade incondicional, a criança verá essa pessoa como um porto-seguro, uma referência de serenidade, experiência. “A avó amiga não julga as atitudes da criança, e sim dá colo, dá conselho. Já na adolescência, os jovens, muitas vezes, buscam o apoio dos avós em questões delicadas desse período da vida e contam segredos que nem sempre contam para os pais”, lembra Silvana.

Para o psiquiatra infantil, Flavio Gosling, a única ressalva nessa relação é quando as opiniões de pais e avós são muito divergentes, o que pode confundir a criança. “Os pais e avós têm que manter uma comunicação linear com o pequeno. Embora os limites sejam mais elásticos em um caso do que no outro, o que não pode acontecer é a situação de total contradição.

Muitas crianças com dificuldades emocionais, escolares e de aceitação de limites são fruto dessa confusão no ambiente doméstico”, alerta Gosling. Em uma coisa os profissionais concordam. As crianças que têm avós do tipo “Dona Benta” podem e devem aproveitar dessa companhia agradável e de toda a experiência que essa pessoa pode passar para a criança.

O Gabriel tem os avós e bisavós maternos  muito presente na vida dele e tenho certeza que essa relação só tem a gerar ótimos frutos, eu me lembro muito bem de quando meu avó, hoje com 75 anos me levava no cinema, na praçinha para andar de bike, no aquário, nos divertíamos muito e com certeza irei levar essas lembranças para o resto de minha vida, quero que o Gabriel possa ter memórias desse tipo, que faz a gente voltar no tempo e sentir inclusive o clima do local naquele momento, quero que  Gabriel possa ao lembrar das brincadeiras com ao avós ter a capacidade de aguçar o olfato e lembrar com ainda mais saudade de um tempo que infelizmente não voltará, por isso tento fazer os momentos que ele vive, os melhores em todos os sentidos.
Em recente viagem a Lindóia, interior de SP, levei meus avós, bisavós do Gabriel e todos que estavam hospedados em nosso Hotel ficaram bobos da disposição dos bisavós com o Gabriel, eles se divertiram demais e ver aquilo, me fez lembrar dos meus tempos de infância enfim das minhas memórias.

Quero poder ter a oportunidade de um dia ser tão presente na vida dos meus netos, assim como minha mãe, meu pai e meus avós assim o são, e poder com isso AFETAR de verdade meus netos, pois eles serão minha maior herança, meu maior legado.

Dedico este post a todos os avós e bisavós  que de alguma forma afetam seus netos, e em especialíssimo a minha bisavó que todos os dias me esbalda com raios de luz, minha eterna Bisa Armandina, in memorian, que soube me afetar de fato durante sua existência terrena.

Como é a relação e qual a importância dos avós na vida do seu filho? Conte-nos, compartilhe conosco suas experências.


Fonte:

2 comentários:

  1. A participação dos avós na vida dos netos é fundamental, na minha opinião. É puro amor! Eu sou suspeita em falar pois a Rafa fica na casa da vovó todos os dias pra eu trabalhar, e isso faz muito bem pras duas!

    ResponderExcluir
  2. Amiga, amei o texto. Eu cho super legal o FH ter avós, porque eu não tive, só tive um avô presente, e esse pouco foi muito na minha infância, então quero que ele curta muito isso. Beijos!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...