quinta-feira, 21 de julho de 2011

Conforme-se! Dedique-se! - by Aline Martins

Olá pessoal!

Depois de ler o que a Anne escreveu pra nós na semana passada, fiquei com aquilo na cabeça. Realmente, ela tem toda razão: é impossível criar um filho sem afetá-lo. E aí mais uma vez, me dei conta do tamanho da responsabilidade que temos nas mãos. A tarefa de educar é árdua, constante e exige muita paciência. A Ana, do blog “Gêmeos.com”, no site do bebê, falou sobre isso no post dela sobre o desfralde dos gêmeos. Confesso que ao ler fiquei muito preocupada, porque FH começou a querer entrar nessa fase, e se for mesmo trabalhoso como ela disse, tenho que me preparar psicologicamente para a tarefa hehehe

O que eu quero dizer é que ser mãe e pai é pra sempre, pro resto da vida. Filho sempre vai exigir nossa atenção e dedicação, não importa a idade. Quando eu estava na fase final da gravidez, o que eu mais escutei foi: “aproveita pra dormir que você ainda não sabe o que é trabalho”; “quando nascer você vai ver o que é trabalho de verdade” e qualquer outra coisa do tipo. Quando FH nasceu, o que eu passei a ouvir foi “daqui a pouco melhora, bebê novinho dá muito trabalho, mas daqui a pouco melhora. Só que o “daqui a pouco melhora” nunca chegou, sinceramente. Na verdade, eu acho que a gente é que se acostuma com o trabalho, a preocupação, a responsabilidade.

O que acontece são fases: quando são novinhos a gente dorme mal porque os bebês costumam acordar a cada 3 horas para mamar. Afinal, eles só mamam nessa fase. Alguns aprendem logo a dormir a noite toda, outros levam mais tempo, então a gente passa uns meses, pelo menos 2, acordando madrugada afora e aprendendo a dormir com sono interrompido. Entre 4 e 6 meses, os bebês começam a comer, e aí começam também a dormir a noite toda. Que bênção, você pensa, vou voltar a dormir a noite inteira. É, vai, mas durante o dia o desgaste será tão grande que você vai continuar cansada. Agora, enquanto o bebê tira a soneca do dia, você aproveita pra fazer a papinha, que no começo dá um trabalhão. Eu confesso que queimei algumas, por falta de prática.

Mas o que pega mesmo é quando eles começam a andar: gente, vou dizer pra vocês: depois que FH aprendeu a andar, parece que ele descobriu o mundo, e outra, ficou com pressa de descobrir tudo logo e minha vida mudou de vez, completamente. FH agora não fica mais sentadinho, comportado, brincando quieto num lugar só. Ele brinca um pouquinho, dá aquela disfarçada, quando eu pisco, ele já está em outro lugar, provavelmente aprontando alguma arte. O novo prazer dele é brincar no quintal. E aí não adianta deixá-lo sozinho, tem que ir atrás, porque a gente tem piscina em casa, então nem no sonho mais colorido ele vai lá sozinho, mesmo a piscina ficando constantemente tampada. Ele ama pegar as pedrinhas do quintal, andar na grama, ver os passarinhos (Abu, como ele chama), os insetos (os “bi”) e as formigas (“fumi”). Vocês acham que com um quintal cheio de coisas pra explorar e descobrir ele vai querer os lindos brinquedos dele, guardados no lindo bauzinho de madeira que a vovó deu? Não quer nem saber! Tem uma vantagem nisso tudo: depois de tanto tempo sem dormir aquele sono pesado e gostoso de antes da gravidez, eu voltei a tê-lo hehehe Eu fico tão cansada do dia todo atrás dele, cuidando pra ele não se machucar, e brincando com ele, que no fim do dia eu estou podre, e muitas vezes me pego dormindo junto com ele. E olha, ele dorme cedo, entre 19 e 20h ele já apagou e aí, só no dia seguinte.

Então, pra quem está grávida, esperando ansiosamente pelo primeiro rebento, ou pra quem está com o pequenino nos braços, ansiosa pra ele crescer logo e você poder dormir a noite toda, eu digo: conforme-se. E aproveite cada segundo. Cada etapa é diferente e todas exigem dedicação total de você mãe, de você pai. Não vai mais haver momento em que você será você e só você de novo, sem se preocupar com a hora de acordar ou de comer. Em que você vai poder se empanturrar de besteira sem culpa nenhuma. Isso nunca mais vai acontecer. Então conforme-se. Mesmo, de coração. Eu gostaria de ter ouvido isso antes, mas isso foi algo que eu descobri sozinha. Eu amo cada segundo com meu filho porque eu sou muito cuca fresca sabe? Então toda a trabalheira que o FH me dá não me cansa emocionalmente, só fisicamente hehehe Porque fisicamente não tem jeito mesmo de não cansar. Mas cada segundo com ele me dá um prazer enorme, eu posso dizer com toda certeza que eu curti e curto cada etapa do desenvolvimento dele. Mas eu vejo muita mãe por aí desesperada querendo saber quando, afinal, ela vai descansar, parar de se dedicar, de se preocupar tanto. Nunca, amiga, com toda certeza, nunca. Cada etapa da vida do seu filho vai te exigir dedicação total. É claro que a dependência para tudo diminui com o tempo, mas outras preocupações surgem no lugar. Quer ver um exemplo? Estávamos eu e meus sogros passeando com o FH na praia aqui perto de casa, e lá estavam montando a estrutura para o “Palmas in door”, uma espécie de carnaval fora de época que dura 3 dias no mês de julho. Eu já fui quando era solteira e é muito bom. Eu comentei com a minha sogra: daqui 10 anos estarei por aqui de novo, pra trazer o FH. E ela complementou: é isso mesmo, se você não vier, vai vir a mãe de um amiguinho dele trazê-los e você vai ficar acordada de madrugada esperando ele ligar pra você buscar, ou esperando ele voltar. Preocupação de mãe só acaba quando o filho casa e você vê que ele achou uma esposa que cuida dele como você cuidou até então. Aí coração de mãe relaxa. E minha sogra tem toda razão. A gente só vai relaxar quando os filhos casarem, não sei porque a gente é assim, talvez por causa da sociedade em que vivemos, da cultura brasileira, do valor que o brasileiro dá à família. Mas a verdade é que só aí que a gente vai relaxar mesmo. e tem mãe que quando chega nessa fase, fica tão perdida que ao invés de relaxar, entra em depressão, porque acha que sua vida perdeu o sentido. Saiu até uma matéria nas páginas amarelas da Veja dessa semana discutindo exatamente isso.

Eu descobri depois que me tornei mãe, que eu tenho muita paciência e que pouca coisa é capaz de me abalar mesmo. Lembro a primeira vez que FH levou um tombo, ele chorou a beça, eu fui lá, peguei ele, cuidei dele, acalmei, vi se não era nada grave, segui minha intuição e cuidei de tudo. 40 minutos depois meus sogros e meu marido chegaram em casa de viagem. Só aí eu chorei, quando fui contar pro meu marido o que tinha acontecido. Minha sogra me abraçou e me disse: calma, que você fez tudo certo e esse foi só o primeiro de muitos tombos que ele ainda vai levar, criança cair é normal. Pronto, depois disso eu nunca mais chorei com um tombo do FH, porque eu sempre lembro que isso faz parte do processo de aprendizagem dele. Chorar não resolve nada, só me faz demonstrar que eu perdi o controle da situação. E poxa, aquele serzinho pequeno, que ainda não sabe nada da vida, perde o controle e chora e vai procurar o porto seguro, que são os pais. Se os pais choram também, imagina o desespero que deve ficar na cabecinha dele? Não pode né?

Voltando ao assunto, filho exige dedicação total, e acho que isso casa perfeitamente com o “AFETAR” que a Anne disse semana passada. Hoje você se dedica a amamentar e trocar as fraldas, daqui a pouco vai se dedicar a fazer papinhas e ensiná-lo a gostar de frutas, verduras e legumes, depois vai se dedicar a cuidar de sua segurança enquanto ele explora o mundo, depois vem a preocupação com a escola e o que ele aprende por lá, aí vem a adolescência e as baladas, a faculdade, a noiva-noivo-esposa-marido... Ufa! É isso mesmo! as preocupações mudam, mas a dedicação é a mesma pro resto da vida. Ao invés de ficar pensando no quanto sua vida mudou e o quanto você não estava preparada pra encarar tanta mudança (porque ninguém te avisou disso né?), mude sua forma de pensar e encarar os fatos para que você possa aproveitar cada segundo com seu filho. É tão bom ver um ser humano crescer e se desenvolver. É mágico! E cada etapa tem sua magia. Então aproveite isso, esses momentos todos, porque todos os momentos são especiais na forma como acontecem.

E você? Curte cada momento com seu filho? Que fase vocês estão encarando agora? Conte pra nós! Beijos!!!!

4 comentários:

  1. Ameiii o post!!! É bem assim mesmo amiga e olha, já me conformei rsss preocupação de mãe, de fato, não acaba nunca... pra cada fase surgem preocupações diferentes mas sempre haverá aquela ruguinha na testa rsss
    O bom mesmo é desencanar e curtir muito pois como todos dizem, passa muito rápido!
    Bjsss,
    Mi

    Essa frase marcou: "É isso mesmo! as preocupações mudam, mas a dedicação é a mesma pro resto da vida."

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Aline, vc escreve com o coração e isso me emociona muito!!! Lindo o post e gostaria que muita gente lesse, estou indicando!!! Realmente ser mãe não é uma tarefa muito fácil mas é tão deliciosa que compensa demais!!! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Amiga eu ja disse e repita zilhoes de vezes se for possivel.....ser mãe é a experiencia mais louca e alucinante q eu ja tive....vc expressou super bem tudo aquilo q eu tbem sinto.... eu tbem ja estou deliciosamente conformada com a ideia de ser mãe para o resto de minha vidahehehehe, nao me falat agora dedicação...e diversao!!!

    Bjo

    ResponderExcluir
  4. Amigas, obrigada pelos comentários carinhosos. Eu escrevo pra vocês, pensando sempre nos momentos que temos que às vezes parecem tão difíceis. Afinal, ser mãe é isso mesmo, né? Compartilhar os momentos legais e os difíceis com nossos filhos e quando compartilhamos, nos sentimos mais humanas. Beijos!!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...