sexta-feira, 17 de junho de 2011

18 de junho: Campanha de vacinação contra a paralisia infantil - by Roberta Lopes

Olá pessoal!

O Sistema Único de Saúde (SUS) inicia amanhã, dia 18 de junho, a primeira etapa de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite de 2011. Todas as crianças menores de cinco anos (4 anos, 11 meses e 29 dias) devem tomar as duas gotinhas para prevenir a paralisia infantil. A segunda fase começa no dia 13 de agosto. Nesta data, os pais ou responsáveis devem levar as crianças novamente aos postos de vacinação, para que elas recebam mais duas gotinhas contra a pólio. É importante levar a carteira de vacinação das crianças, para atualização das doses aplicadas.

Mas você sabe o que acontece com uma pessoa quando ela contrai esse vírus? Então vou falar um pouquinho sobre a Poliomielite pra vocês.

A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infecto-contagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se subitamente e a evolução dessa manifestação, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido. Esta doença encontra-se erradicada no país desde o início dos anos 90, em virtude do êxito da política de prevenção, vigilância e controle desenvolvida pelos três níveis do Sistema Único de Saúde (SUS).

Modo de transmissão

A transmissão ocorre principalmente por contato direto pessoa a pessoa, fazendo-se a transmissão pelas vias fecal-oral ou oral-oral, esta última através de gotículas de muco da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar). As más condições habitacionais, a higiene pessoal precária e o elevado número de crianças numa mesma habitação constituem fatores que favorecem a transmissão do poliovírus.

Período de incubação

O período de incubação é, geralmente, de 7 a 12 dias, podendo variar de 2 a 30 dias.

Manifestações clínicas
As manifestações clínicas devidas à infecção pelo poliovírus são, em sua maioria, infecções inaparentes (90% a 95%). No entanto, em 1%-1,6% dos casos a doença pode manifestar-se clinicamente por quadros de paralisia grave, levando à morte. Apenas as formas paralíticas possuem características clínicas típicas que permitem sugerir o diagnóstico de poliomielite, quais sejam:

• instalação súbita da defi ciência motora, acompanhada de febre;
• assimetria, acometendo sobretudo a musculatura dos membros, com mais freqüência os inferiores;
• flacidez muscular, com diminuição ou abolição de refl exos profundos na área paralisada;
• sensibilidade conservada;
• persistência de alguma paralisia residual (seqüela), após 60 dias do início da doença.

Situação epidemiológica

Os últimos casos de poliomielite nas Américas ocorreram no Brasil em 1989 e no Peru em 1991. Atualmente, ainda há circulação de poliovírus em alguns países da África e Sudeste Asiático. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2007 foram confirmados 1.315 casos de poliomielite. Destes 1.208 (92,0%), estão concentrados em países considerados endêmicos, destacando-se: Índia, Nigéria, Paquistão e Afeganistão. Vale ressaltar que neste ano de 2008, está ocorrendo um surto de poliovírus selvagem tipo 1 na Nigéria, com o número de casos no período de janeiro a outubro/2008, cinco vezes maior do que o número de casos nesse mesmo período, no ano de 2007.

Duas gotinhas que salvam a vida do seu filho!



Vale lembrar que em 8 estados brasileiros - AL, BA, CE, MG, PE, RJ, RS e SP, acontece na mesma data a 1ª fase da Campanha de Seguimento contra o Sarampo. Nos demais estados a vacinação contra o Sarampo ocorrerá no dia 13 de agosto de 2011, juntamente com a 2ª etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite.

Dúvidas frequentes sobre a vacinação:


1. As vacinas tem contraindicações?
Em geral, não. Porém, recomenda-se que as crianças que estejam com febre acima de 38º ou com alguma infecção sejam avaliadas por um médico antes de se vacinarem. Também não é recomendado vacinar crianças que tenham problemas de imunodepressão (como pacientes de câncer e aids ou de outras doenças e ou tratamentos que afetem o sistema imunológico, de defesas do organismo) e anafilaxia (reação alérgica severa) a dose anterior das vacinas.

2. Há risco para as crianças que vão tomar duas vacinas?
Não. As vacinas são seguras e podem ser dadas às crianças no mesmo dia, sem prejudicar a saúde delas.

3. Onde vacinar as crianças?
Os pais ou responsáveis devem procurar a Secretaria de Saúde do seu município ou estado para se informar sobre a lista de postos, bem como os endereços e os horários de funcionamento.

4. será possível vacinar as crianças nessas datas?
Não. As vacinas contra pólio, bem como todas as outras são oferecidas gratuitamente pelo SUS e estão disponíveis durante todo o ano, nos postos de saúde, para a imunização de rotina. Mas é fundamental levar as crianças às campanhas de vacinação, porque elas reforçam a proteção da saúde delas.

5. Como funciona o calendário básico de vacinação, fora das campanhas?

Vacina poliomielite oral: Os bebês devem receber a vacina aos dois, quatro e seis meses. Aos 15 meses, recebem o primeiro reforço. Porém, todas as crianças menores de cinco anos (de 0 a 4 anos 11 meses e 29 dias) devem tomar as duas doses durante a Campanha Nacional, mesmo que já tenham sido vacinadas anteriormente.

Vacina Tríplice Viral: As crianças devem tomar uma dose da vacina tríplice viral (que protege contra sarampo, rubéola e caxumba) aos 12 meses e um reforço aos quatro anos. Porém, todas as crianças devem se vacinar nas “campanhas de seguimento”, mesmo que já tenham sido vacinadas anteriormente.

Referências:

Ministério da Saúde, Guia de Vigilância Epidemiológica, 6ª ed., 2005. Disponível em:
http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=32009&janela=1
Fotos:
Google imagens: paralisia infantil
http://3.bp.blogspot.com/_F9aQSFfs1Y0/SxWBi-E0nGI/AAAAAAAAAC0/sFd3oy1VT0E/s1600/COL40-brasil_na_luta_contra_a_paralisia_infantil.jpeg

7 comentários:

  1. Amanhã vou logo cedo levar a Camilinha, ainda mais que acho que vai ter uma fila daquelas. Adorei o post, nos pais temos que fazer a nossa parte nao é mesmo? bjs

    ResponderExcluir
  2. Amanhã vou levar a Sophia para vacinar logo cedo também. Até porque de tarde tem a festa junina dela.

    ResponderExcluir
  3. Como ela acabou de tomar o reforço eu estava mesmo em duvidas!!! Foi super esclarecedor!!! Obrigada Rô!!!

    ResponderExcluir
  4. Amanhã FH também vai vacinar. Acho super importante esse tipo de prevenção. Não sabia que a doença poderia não deixar sequelas. Super esclarecedor. Adorei o post. Beijos Ro!

    ResponderExcluir
  5. Levei a Rafa depois do almoço e não peguei fila! Ufa! Mesmo estando com o calendário em dia achei importante participar da campanha, 1 dose a mais não faz mal a ninguém! O importante é manter essa doença horrível erradicada pra sempre!

    ResponderExcluir
  6. Tbm sempre vacino nas campanhas mesmo com as vacinas em dia. A pediatra disse que é importante participar das campanhas.

    ResponderExcluir
  7. Gente a ISA AMOU as gotinhas heheheheh ficou lambendo o beiço!!! kkkkkkkk

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...