segunda-feira, 30 de maio de 2011

Como a maternidade interferiu na sua vida profissional? - by Camila

Olá, leitoras.
Neste post de hoje, gostaria de ter uma maior interação de vocês, através dos comentários aqui nesse cantinho.
Como ficou sua vida profissional depois que você se tornou mãe?
Você teve a licença de 180 dias?
Como foi o retorno ao trabalho?
E depois de um certo tempo: a vida "voltou ao normal"?

Vou contar aqui como vem sendo comigo.


"Descobri que estava grávida e segurei um pouco para falar na empresa onde trabalho. Já que diversas coisa podem acontecer, não é mesmo? (Olho grande é a principal! rs)
Acho que só falei para meu gerente quando estava com mais de 10 semanas.
E até um certo ponto senti que as coisas ficaram diferentes, sabe? Como sabesse que grávida uma hora te que sair pra ter o bebê e ficar um tempo em casa para cuidar do novo rebento, as coisas não vinham até mim. Projetos de longo prazo eram desviados, e com isso o ritmo de trabalho diminuiu bastante.
Foi bom? Não. Pelo contrário! Com isso, meu rendimento saiu bastante, eu não tinha "produtos" para entregar. E como eu seria avaliada na rodada de promoção na empresa? Veio esta época, e BUM, dancei!
Jade nasceu, consegui a licença maternidade de 180 e ainda emendei 2 férias (a do ano anterior que estava acumulada) e a ano presente. Ou seja, foram 8 meses em casa.
Retornar ao trabalho foi difícil, a gente vem com outro ritmo, fora que o Tico e o Teco apagaram muitas coisas da memória!! rs
Como esse tempo de ausência interferiu na minha carreira? Bom, lá se foi outra rodada de promoção, e lá foi eu dançando de novo...
Agora as coisas estão surgindo. Estou gostando. (mas quando o chefe descobrir que quero outro bebê, como isso ficará). Vou aproveitar essa entre-safra (entre bebês) para dar meu máximo e poder ser vista novamente como uma boa profissional dentro da empresa.
A Jade tem estranhado a gente tanto tempo fora de casa, afinal só nos vemos 10 minutinhos pela manhã e mais umas 2:30h a noite, onde tenho procurado brincar com ela e ficar observando seu desenvolvimento.
Quando saio de casa procuro desligar a KK mamãe e ligar a KK Camila, pois mesmo depois da maternidade, acredito que a gente não deve se anular para nossos filhos. A gente tem que se amar para poder ter forças e ânimo para amar o próximo, principalmente a pimpolha e o maridão, não é mesmo?"

Bom, vou esperar ansiosa para ler os relatos de vocês.

7 comentários:

  1. Miga, comigo a volta ao trabalho foi dificil, pq fiquei bastante tempo sem ter nada pra fazer, e so agora que as coisas estao voltando a ser o que era antes, alem disso, sou muito apegada a Camila, entao sempre busco ela no bercario na hora do almoco, e as duas deixo ela de novo. Ela ja esta acostumada com esse ritmo, e gracas Deus tem dado certo e nao atrapalha a rotina dela. Enfim, com o tempo as coisas vao se ajeitando...bjs

    ResponderExcluir
  2. Oieee, estou em processo de adaptação .... sim minha filha já esta para fazer 1 aninho e eu ainda não me adaptei a esta vida conturbada cheia de afazeres muitas obrigações e pouco momento vivido integralmente com a piquena ....

    Quanto ao meu desenvolvimento na empresa não sinto tanta diferença, o meu problema esta em ter que ir para a facul e passar dias apenas "dormindo" com a piquena .... chega a ter dias em que ela não aceita nenhum tipo de comida a menos que venha de mim e isto esta me matando eu por minha vez tenho ficado bem deprimida e sem animo para NADA .... o que fazer ? abandonar tudo e ir viver a maternindade ? ter paciencia e confiar que o final do ano vai chegar e me livro da facul ? pensar que eu preciso estar bem para cuidar dela mas como estar bem se estou longe dela ????

    beijosss de uma mãe que esta super confusa

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho o privilegio de ser empresaria e de ter uma empresa estruturada em um formato q "não depende de mim"...mesmo assim não foi facil me afastar...por mim mesma q sou uma pessoa muito dinamica e não me conformo em ficar em casa de pernas p ar.....infelizmente! Dei entrada na minha licença maternidade e recebi os 4 meses q eu tinha direito....mas fiquei afastada do trabalho apenas 3 meses....dos 3 aos 6 meses da Isa eu trabalhei meio periodo, com a pequena a tira-colo...montei uma pequena estrutura p ela no meu escritorio - berço camping, trocador, brinquedinhos...- na verdade eu fazia pouca coisa no trabalho, mas ao menos estava presente e isso p mim ja bastava....acho q essa minha atitude foi legal, pois não fiquei por fora dos meus negocios e qdo voltei de fato no periodo integral, a casa estava em ordem....o retorno ao trabalho foi dificil, mais pelo fato de ficar sem o meu bebe, conforme ja relatei nesse topico: http://amigasdatb.blogspot.com/2011/04/escolhendo-e-se-adaptando-no.html ,mas aos poucos tudo foi se encaixando e hj consigo numa boa conciliar o trabalho X maternidade!!!

    ResponderExcluir
  4. Amiga, minha vida profissional depois que eu me tornei mãe não mudou muito. Eu já estava afastada do Incra por conta do mestrado, só dando aula, aí depois da licença-materinidade de 180 dias + férias, eu pedi demissão de lá. Não era mesmo o que eu queria, porque lá eu era concursada, mas não me deixaram sair de licença sem remuneração. Acho que no fim foi o melhor que eu fiz. Nunca me arrependi de ter largado o concurso. Dando aula eu trabalho muito, vida de professor não tem hora, mas eu sinto muito prazer no que eu faço. Me sinto uma mãe melhor pro FH, não consigo me imaginar sem trabalhar. Como meus horários são flexiveis, eu não senti tanto o baque de deixá-lo, porque fui voltando aos poucos para a docência. Até assumir turmas de vez em agosto do ano passado. Ele já estava com quase 9 meses. Hoje sinto mais, porque esse semestre tenho muita aula a noite, mas espero que semestre que vem isso mude hehehe
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  5. quando soube que estava gestante contei logo no trabalho, pois minha profissão é meio que perigosa não pude esperar, tive que entrar na justiça pra conseguir minha licença maternidade 180 dias!
    quando voltei pra mim foi ruim, ate então ela mamava exclusivo era o periodo de complementar com outros alimentos, mas ainda mamava demais! minha sorte é que trabalho de 6h diarias então acho que o impacto é menos! to sentindo mais agora que trabalho e to na faculdade morro de saudade que dói quando penso! se vou me acostumar não sei...

    ResponderExcluir
  6. O meu retorno ao trabalho 7 meses (6 de licença + férias) após o nascimento da Rafaella foi super tranquilo, confesso que não via a hora de voltar à ativa pois ficar em casa o dia todo não era a minha praia, mesmo com muitos afazeres por conta da bebê, me sentia ociosa, inútil, entediada. E por trabalhar apenas meio período, a adaptação foi perfeita, pois a Rafaella já comia e mamava mamadeira, então foi super fácil. No trabalho foi lento o recomeço, mas logo já estava à todo vapor.

    ResponderExcluir
  7. Como moramos longe de todos da família, qdo engravidei pela primeira ficou um dilema como trabalhar e deixar a pequena na creche sem hora para sair do trabalho tanto eu quanto o marido. Bem trabalhei até o final da gestação e tudo correu bem na empresa mas acabei saindo para cuidar dela e fui ficando, já que só o marido trabalhando dava conta. Hj com a Marina continuo cuidando delas e acho que foi um investimento nosso muito bom não tem preço. É claro que às vezes me sinto cansada, e estressada por não sair para trabalhar, não ter $ só meu mas tem valido a pena estar com elas.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...