quinta-feira, 26 de maio de 2011

Calendário de Vacinação e a Importância da Vacina para o Bebê - by Aline Berg e Roberta Lopes

A vacinação é de suma importância, principalmente para recém nascidos e crianças, pois nesta fase seu organismo ainda não tem as defesas suficientes e não está preparado para combater doenças e infecções que podem até levar à morte.

As vacinas (que o nome advém de vaccinia, o agente infeccioso da varíola bovina) são substâncias produzidas a partir de agentes patogênicos, como proteínas, toxinas, partes de bactérias ou vírus, ou mesmo vírus e bactérias inteiros, atenuados ou mortos, que ao serem introduzidas no organismo de um ser humano ou animal, suscitam uma reação do sistema imunológico semelhante à que ocorreria no caso de uma infecção por um determinado agente patogênico, desencadeando a produção de anticorpos que acabam por tornar o organismo imune ou, ao menos mais resistente, a esse agente (e às doenças por ele provocadas). Quando o corpo é atacado por algum agente patogênico não chega a desenvolver a doença porque o organismo encontra-se protegido.

As vacinas são medicamentos biológicos, ou seja, são produtos cuja substância ativa é uma substância biológica. São também chamadas medicamentos imunológicos, ou seja, utilizados na profilaxia ou tratamento de doenças.
O objetivo da vacina é  ensinar o sistema imunológico a reconhecer agentes agressores que podem provocar doenças e a reagir produzindo anticorpos capazes de combatê-los.

Como são produzidos os medicamentos biológicos?
Os medicamentos biológicos são produzidos a partir de células vivas que atuam como uma fábrica. É um processo complexo, em que estas células devem permanecer sob condições de temperatura específicas e com alimentação na hora e na quantidade certa durante semanas ou meses.

As vacinas podem ter diferentes composições:
- Componente ativo de origem biológica: extraído de microorganismos, órgãos e tecidos de origem vegetal ou animal, células ou fluidos de origem humana ou animal.

- Componente ativo de origem biotecnológica: em geral, são proteínas obtidas a partir de células modificadas geneticamente para produzi-las.


A Importância da Vacinação

Já ao sair da maternidade o bebê recebe duas vacinas importantes a BCG-ID e a primeira dose da vacina contra hepatite B. Até um ano de idade, o bebê precisa ser vacinado pelo menos seis vezes contra no mínimo 13 tipos de doenças diferentes.

Algumas vacinas são em dose única, outras precisam ter doses de reforço. Algumas são exclusivas para determinadas doenças, outras são conjugadas e protegem contra mais de uma doença.

Outras vacinas também são recomendadas pelos médicos, mas estão disponíveis somente na rede particular. É o caso da Varicela (contra a Catapora), aplicada a partir de um ano de idade. Pagando, é possível vacinar ainda contra a doença Pneumocócica (bactéria responsável pela maioria das pneumonias adquiridas na comunidade). A Anti-Pneumocócica é aplicada a partir dos dois anos de idade.

A tendência, para alegria das mães que ficam de coração apertado só de pensar na agulha, é que as vacinas sejam combinadas numa mesma dose. "Diminui-se o número de picadas, assim como as idas à clínica ou ao posto de saúde", diz o infectologista pediátrico Edimilson Migowski, professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A hexavalente, por exemplo, reúne seis vacinas em uma só. Combinada ou em várias aplicações, estudos garantem que não há problema em tomar mais de uma dose no mesmo dia.
Em 2010 o SUS (Sistema ùnico de Saúde) incorporou mais duas novas vacinas na rede pública para atender crianças menores de dois anos de idade: a pneumocócica 10-valente e a antimeningococo C-conjugada, ampliando a vacinação infantil.

Essas duas novas vacinas, imunizam as crianças contra meningite, pneumonia, sinusite e otite. Com isso, o calendário de vacinação infantil passou a contar com 13 tipos diferentes de vacinas que imunizam 19 doenças.

Parece uma odisséia, recheada de aventuras com injeções e gotinhas, normalmente odiadas pelas crianças, mas vale a pena. Com as vacinas, as crianças ficam protegidas de doenças transmissíveis e são poupadas de enfermidades severas com graves conseqüências, como é o caso da Hepatite B, que pode matar, e da Poliomielite, que causa paralisia.

Calendário Básico de Vacinação do SUS:

Idade
Vacinas
Doses
Doenças Evitadas
Ao nascer
BCG-ID
Dose única
Formas graves de tuberculose

Vacina contra hepatite B
1a Dose
Hepatite B




1 mês
Vacina contra hepatite B
2a Dose
Hepatite B




2 meses
VORH (vacina oral de rotavírus humano)
1a Dose
Diarréia por rotavírus

VOP (vacina oral contra pólio)
1a Dose
Poliomielite (paralisia infantil)

Vacina tetravalente (DTP+Hib)
1a Dose
Difteria, Tétano, Coqueluche, Meningite e outras infecções causadas pelo Haemophilus influenza tipo b




4 meses
VORH (vacina oral de rotavírus humano)
2a Dose


VOP (vacina oral contra pólio)
2a Dose


Vacina tetravalente (DTP+Hib)
2a Dose





6 meses
VOP (vacina oral contra pólio)
3a Dose


Vacina tetravalente (DTP+Hib)
3a Dose


Vacina contra hepatite B
3a Dose





9 meses
Vacina contra febre amarela
Dose inicial
Febre Amarela




12 meses
SRC (tríplice viral)
1a Dose
Sarampo, Rubéola e Caxumba




15 meses
VOP (vacina oral contra pólio)
Reforço






DTP (tríplice bacteriana)
1º Reforço
Difteria, Tétano e Coqueluche
4-6 anos
DTP (tríplice bacteriana)
2º Reforço


SRC (tríplice viral)
Reforço





10 anos
Vacina contra febre amarela
Reforço





8 comentários:

  1. Jade é um bebê em dia com o calendário de vacinação. Acho este um post muito importante para todas as mamães, afinal estamos zelando pela saúde dos nossos filhotes!! Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Levei a Mila pra tomar as vacinas de um ano e tres meses, dai a moça que aplicou disse que eu teria que voltar lá no mes que vem pra fazer o reforço, nao entendi nada, pq ela nem tomou a de gripe, uma vez que ela já tinha tomado antes,acho que ela se confundiu mas vou voltar lá e perguntar, enfim, com esse calendario, fiquei em duvida, acabaram mesmo as vacinas dela e agora só qdo crianca? será que nao tem mais alguma nao? quem souber responda!

    ResponderExcluir
  3. Lu, a Jade agora, com 15 meses, tomou a Prevenar e a Penta (Reforço)(penta = tetra + pólio) no pediatra. Vou voltar com 16 meses para dar a Meningocócica e a primeira da gripe. E ainda vou voltar com 17 meses para dar a segunda da gripe... Com 18 meses ACHO que tem mais uma... tenho q checar com a caderneta...
    Este link explica as vacinas: http://www.neovacinas.com.br/Vacinas.htm

    ResponderExcluir
  4. A Isa tomou todas as vacinas existentes.....interessante é q parece q o nosso calendario de vacinação aqui de Goias tem outras vacinas inclusas, depois vou dar uma olhada...a da gripe ela tomou com 6 meses e depois tomou um reforço...e agora ela tomou dinovo..já é a 3ª q ela toma da gripe conjugada!!

    ResponderExcluir
  5. Amei o post.
    Mas fiquei na dúvida quanto os 18 meses também. Acho que o FH tem um reforço pra fazer com essa idade, chegando em casa vou conferir o cartão dele.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Meninas, realmente a Sophia também tem uma vacina para tomar aos 18 meses, mas não sei porque não aparece no calendário do SUS.
    Este que está aí eu copiei ipsis literis do caderninho de acompanhamento dela do M.S. e nele não aparece esta vacina dos 18 meses.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom, a Marina está em dia certinho e acho que acabou só falta a segunda dose da gripe. Mas tbm depende de cada pediatra, alguns mandam dar depois e outros antes aí confunde um pouco. Meu sobrinho é diferente da Marina.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...