domingo, 25 de abril de 2010

Relato do meu parto - by Anne

Acordamos cedo, tomei um banho e lá fomos nós para a maternidade. Aquele seria o grande dia e de fato, foi.

Ao chegar, fizemos a ficha na recepção, aguardamos chamar para o Centro Cirúrgico e nisso se passaram aproximadamente 1 hora e meia.

A porta do CC se abre e eis que escuto uma voz chamar, ANNE KAROLINE, naquele momento não tive tempo de ter medo, ansiedade, ou algo assim, apenas seguindo meu instinto de mãe fui sendo conduzida dentro daquele CC até a sala de pré parto.

Quando adentrei a sala de pré parto, a enfermeira pediu que eu vestisse o avental cirúrgico, e colocasse minha roupa em um saquinho plástico, saquinho este que seria entregue a meu esposo, que a essa altura ainda estava aguardando ser chamado para adentrar ao CC.

Em seguida, agora já despida, apenas coberta com o avental, a enfermeira solicitou que eu deitasse na maca, pois colocaria o soro, e assim foi, nesta hora percebi que havia mais duas mulheres nesta mesma sala e então me lembrei que ao adentrar o CC, a enfermeira me disse que não teria vaga na sala de pré parto apartamento, e eu naquele momento não entendi absolutamente nada, não fazia a mínima idéia do que aquilo significaria e agora estava entendendo, eu teria que dividir com mais mulheres a tal sala que eu já estava, se esse era o problema, pensei, totalmente resolvido, não vi nenhum problema nisso.

A enfermeira se retira daquela sala neste momento e foi ai que conversei muito com Deus, pedi que meu filho viesse com saúde e que eu sobrevivesse aquele dia, pode soar engraçado hoje, mas o que eu mais pedia, era para não morrer, pois queria poder ver meu filho, era tudo que eu mais queria, além de lembrar que não havia me despedido formalmente das minhas irmãs, pais e marido, achei que não seria justo eu partir sem agradecer a eles por tudo que representaram na minha vida e Deus naquele momento me deu uma paz sem fim e tive a certeza que tudo daria certo.

As moças que dividiam aquela sala comigo estavam quietas, e após minha oração não hesitei em perguntar primeiramente a uma se ela já tinha tomado anestesia, que até então era meu pavor, e ela respondeu-me que acabará de ganhar bebê e que estava em recuperação e a segunda indaguei-a com a mesma pergunta que solicitamente respondeu-me que estava em trabalho de parto e que aguardaria o PN, quando essa última começou a gemer, para meu alivio a enfermeira adentrou a sala novamente e colocou o soro em mim, que nada doeu, e que até então segundo a Dra. Fátima seria tudo que eu iria sentir de incomodo, ufa, uma etapa a menos e o melhor, sem dor.

Tão logo, fui chamada para ir ao CC, pois minha cesária iria começar, neste momento me dei conta que em poucos minutos eu estaria com o Biel em meus braços, eu seria de fato mãe, a partir daquele momento, uma alegria me contagiou de tal forma que nada mais tinha importância, a não ser o instante que estava por vir.

Ao adentrar no CC, consegui enxergar minha GO no meio de tantas pessoas que ali estavam e isso me deixou ainda mais confiante, lembro da Dra. Fátima me apresentar o anestesista e de uma enfermeira pedir que eu me sentasse na mesa cirúrgica e a abraçasse, enquanto isso lembro que conversei novamente com Deus, pedi a ele que ele me aplicasse a anestesia que eu tanto temia e que apenas usasse as mãos daquele médico como ferramenta do seu trabalho, neste momento, o anestesista me disse que eu iria sentir uma picadinha, e para minha surpresa, nada senti, não senti nem a tal picadinha, neste momento agradeci muito por mais uma etapa vencida e novamente, sem dor.

Logo meu esposo adentrou ao CC e as manobras para a condução do parto tiveram inicio, meu esposo me indagava a todo instante se eu não estava sentindo dor, e eu pensava que boa coisa ele não estaria vendo e depois vendo as filmagens que ele fez, realmente chega a assustar um pouco o PC, mas apenas isso.

Lembro da Dra. Fátima me dizendo que iria nascer e em poucos instantes escutei o choro mais lindo que já ouvi na vida, logo pude ver meu Gabriel, muito gordinho, pude beijá-lo e logo ele foi levado aos cuidados do Dr. Mario Rosa, o PE.

Em seguida o DR. Veio com ele no colo e me disse que tudo estava bem, e eu aflita o indaguei se meu filho tinha saúde, e ele respondeu-me que meu filho tinha muita saúde.

Vi meu marido emocionado dizendo seja bem vindo filho, foi lindo, logo meu esposo beijou minha face, se despedindo e foi acompanhar o Biel para conhecer nossa familiares que o esperavam muito anciosos, estavam presentes as pessoas mais importantes de minha vida naquele hospital e isso me deixava mais segura.

Fiquei no CC aos cuidados da Dra Fátima que terminava a cesariana, neste momento tive ânsia, era algo muito forte e comecei a chorar, o anestesista sentou-se no banquinho que acredito ser o que meu marido estava sentado e me acalmava, dizia pacientemente que aquilo iria passar e que eu não forçasse, pois nada sairia, passava a mão na minha cabeça tentando me acalmar e em questão de 1 ou 2 minutos, tudo passou.

A Dra. Me disse que já estava na última camada de pele e eu disse que tudo bem, o que mais eu poderia dizer, risos. Logo ela terminou e disse que eu iria para a recuperação, que havia dado tudo certo.

Ocorre que neste instante a enfermeira percebeu que minha pressão estava 15 X 10 e eu pude perceber a preocupação de todos no CC, minha médica solicitou medicação na mesma hora e logo me medicaram. Fiquei ali uns 10 minutos em observação e a pressão baixou, não me lembro para quanto.

Fui levada para a recuperação e lá novamente, 15 X10, chamaram o anestesista e ele prescreveu mais mediação, de 5 em 5 minutos as enfermeiras vinham aferir a pressão e comemoravam cada descida.

Não fiquei nervosa, apenas tentei confiar naqueles que ali estavam e pedi que logo eu pudesse ver meu menino que a esta altura já estava no berçário.

Lembro que fiquei das 10:09 horas, hora do parto até aproximadamente 17:00 horas no CC em recuperação, aguardando vaga de apartamento, que segundo as enfermeiras, estavam todos ocupados, não via a hora de ver meu esposo, minhas irmãs, meus pais e a estrela daquele dia, o meu Biel, eu precisava do aconchego dele, queria sentir novamente seu cheiro!

Aproveitei para descansar e logo a anestesia passou, em determinado momento ouvi a voz do meu esposo na porta do CC perguntando por mim, dizendo que queria me ver e veio até mim, perguntou-me se eu estava bem e disse que logo eu subiria para o apartamento, perguntei se o Biel era saudável e meu marido afirmou que sim e que nosso filho era lindo, neste momento fiquei mais calma e aguardando a hora de sair daquele CC, lembro que as moças que estavam na recuperação na mesma sala que eu já haviam todas subido e eu ainda ali, para meu alívio duas enfermeiras vieram me buscar e me levaram para o quarto, a partir deste momento, foi só alegria, assim que sai do elevador, ainda na maca, pude ver meus avós, meus pais, meu esposo, me senti abraçada naquele momento, por pessoas muito mais que especiais, fui conduzida ao quarto e logo meu Biel chegou...nem preciso dizer, que neste momento minha vida mudou pra sempre!!!

Um comentário:

  1. Anne, relatar o parto tras a tona todas as emoções que vivemos naquele dia, ne? Muito bom!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...