quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Minha historia - by Luana

Meu nome é Luana e tenho 27 anos. Sou casada a 4 anos e 10 meses, mas de relacionamento, eu e meu marido temos 8 anos. Meu esposo tem 29 anos e nos conhecemos na faculdade. Nosso casamento no inicio foi muito difícil, porque moramos quase três anos separados, eu em Palmas, e ele em varias cidades, por fim, Brasília. Toda vez que meu marido vinha me ver, na hora de ir embora era aquela tristeza. Mas, um belo dia, resolvemos que iríamos tocar nossa vida pra frente, sem pensar nessa distancia, e decidimos construir nossa casa e escolhemos viver em Palmas. Por incrível que pareça, parece que foi só a gente finalmente criar raízes que a transferência do meu esposo saiu e desde novembro de 2007 a gente esta definitivamente juntos. E logo veio aquela vontade imensa de ter o nosso bebezinho e partimos pros treinos. A cada ciclo que minha menstruação descia, era aquela tristeza e eu me descabelava de tanto chorar. Procurei ajuda e o gineco detectou que eu tinha Somp, e que era isso que estava me atrapalhado a engravidar. Me receitou indutor de ovulação. Procurei consultar com outros médicos, e todos diziam a mesma coisa. Daí no meu primeiro ciclo com indutor, encontrei no e-family um grupo de meninas que media temperatura basal e resolvi tentar também. Comprei um termômetro digital e todos os dias de manhã, exatamente no mesmo horário, inclusive aos fins de semana eu acordava e media. É incrível como a gente vai conhecendo o nosso organismo. Os dias foram passando, e minha temperatura pós-ovulatória continuava alta, mas como era meu primeiro ciclo medindo, primeiro com indutor, no fundo tinha medo de me apegar a algum sintoma. E no fundo, eu estava passando por uma fase muito difícil, porque minhas amigas estavam tudo engravidando, minha irmã tinha conseguido o tão sonhado positivo, e só faltava eu. Num belo dia, resolvemos fazer um encontro só de mulheres, nossa, como eu bebi esse dia, enchi a cara mesmo, e desabafei, disse que eu tinha problema, que eu queria engravidar, e blá blá blá, e todas as meninas dizendo pra mim ter calma. No dia seguinte, acordei com uma ressaca daquelas, mas mesmo assim medi minha TB. Fui pro trabalho, mas como não estava agüentando nada, voltei pra casa, e no caminho comprei dois testes de farmácia, coisa que todo mês eu fazia mesmo. Cheguei, deitei um pouco, e de repente pensei, ah vou fazer um teste, se não der nada, tem o outro mesmo. Daí fiz, e deitei de novo. Quando peguei o teste, estavam lá as duas listrinhas, mas bem fraquinha. Nossa, entrei em desespero. Peguei o carro e corri pro laboratório pra fazer o Beta. E segura a ansiedade aguardando uma hora pro resultado ficar pronto. Quando finalmente deu o horário, cheguei pra buscar e a mocinha que entrega resultado já foi logo dizendo: parabéns mamãe!!! Nossa, foi a maior emoção da minha vida!!! Eu que tinha planejado fazer uma mega surpresa pro meu marido, não agüentei e liguei contando pra ele. E depois, liguei pra minha irmã, pros meus pais, e sai passando mensagem no celular pra todas as minhas amigas que estavam no encontro no dia anterior. Foi um momento mágico que desejo que todas as treinantes passem por isso, e logo!!! Agora estou com 28 semanas, aguardando ansiosa a chegada da minha princesinha e eu e meu marido estamos vivendo um momento maravilhoso de nossas vidas!!! A Camilinha com certeza é um presente de Deus que virá pra encher o meu lar de muita luz!!!

2 comentários:

  1. Nana, to morrendo de rir, lembrando que foi exatamente isso mesmo, que dia engraçado. A Camilinha vai ter muito orgulho dessa mamãe linda dela! Te amo!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Lu!!
    A gente fica muito apreensiva quando treinante e sabe que tudo isso vai valer a pena!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...