sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Festa do Batman - 4 anos do FH - by Aline Martins

Oi pessoal.

Estava devendo um post sobre o aniversário do FH, de 4 anos né? E meu príncipe, meu gatão, meu tudo fez 4 anos! Está mais lindo e mais esperto que nunca. Como eu amo essa nova fase dele!

Esse ano pela primeira vez resolvemos fazer a festa em um salão. Achei ótimo, porque o pacote da festa já veio com quase tudo incluso e eu fiz apenas os detalhes que valorizam a festa. Sem falar que o FH curtiu pra caramba.

O tema foi ele quem escolheu: Batman. Ele entrou na fase de super-heróis e esse é o preferido dele. Aí eu fiz uma camiseta personalizada, com o símbolo do Batman e capa pra ele vestir na festa. Olha como ele ficou lindo!



A decoração veio inclusa no pacote e era bem bonita!


Eu fiz os centros de mesa, os personalizados e as lembrancinhas. Os personalizados eu encomendei a arte pela internet e imprimi por aqui mesmo. Queria uma versão mais infantil do Batman, e aí só encomendando as artes mesmo (essa eu não achei pronta, grátis na internet).
 
                                 


E essa lembrancinha foi especial: montei uma sacolinha surpresa com os tradicionais doces e balinhas, mas incluí também uma máscara do Batman e uma capa, que eu fiz de cetim. Ficou lindo e as crianças amaram. Pras meninas, a máscara era da mulher gato (ou batgirl, como o FH diz hehehe).

Olha como as crianças se divertiram!

E a hora do parabéns, que hora mais feliz!


E aí, gostaram? FH amou!

Beijos,
Aline

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Suco ou refrigerante? - by Aline Martins

Olá pessoal.

Parece até bobeira da minha parte iniciar um post aqui no blog com essa pergunta. Você vai pensar: dãããã, suco, é óbvio! Concordo plenamente. FH, com 4 anos, ainda não toma refrigerante. Até deixamos ele experimentar, mas ele não gostou e não toma. Fala que é ruim (acho que é do gás que ele não gosta). E eu acho isso ótimo, e por causa dele, até diminui o tanto que EU, mamãe tomo de refrigerante (adoro uma coca bem gelada, confesso!).

Mas aí a gente pensa: e vai beber o que nas festinhas, no recreio da escola? Suco, é claro. Mas suco natural? E você, mamãe antenada, ocupadíssima com todas as suas funções diárias de mãe, esposa, profissional, dona de casa, mal tem tempo de fazer uma unha na semana, quanto mais de ficar comprando frutinha fresca e batendo suco natural todo dia né?

Eu confesso que não consigo, não tenho esse tempo mesmo. Então quando não dá tempo eu apelo pro suco de caixinha, sem cerimônia. E nessa vida, todo mundo em casa acaba tomando mais suco de caixinha do que gostaria. Pra sentir menos culpa, costumo olhar nos rótulos das embalagens e comprar aqueles que tem menos sódio, menos conservantes ou que sejam sem corantes. Tem algumas marcas já preocupadas com isso e fazem uns sucos bem gostosinhos (apesar de alguns serem quase transparentes por causa da falta de corantes).

Aí você pensa que tá fazendo tudo certo, tudo bonitinho e vem a internet, essa mesma que te provoca e faz pensar às vezes e bombardeia sua vida com esse vídeo.



E você, já tinha parado pra pensar nesse detalhe? No quanto de fruta e de açúcar tem no suco de caixinha que seu filho toma? Eu confesso que não havia me atentado pra isso até ver esse vídeo, e fiquei chocada. Ainda mais porque em casa, quando fazemos suco, dependendo da fruta, não colocamos açúcar, e todos tomamos o suco muito bem assim, sentindo o gosto da fruta mesmo (que convenhamos, a maioria já são bem docinhas né?).

Por uma vida mais saudável o Idec lançou essa campanha, na tentativa de obrigar as empresas de suco a informar esses valores, para fazer com que sejamos consumidores mais conscientes. Eu não sou a favor de radicalismos, acho que isso não leva ninguém a lugar nenhum, e não vamos ser hipócritas, ninguém vai abolir pra sempre e eternamente o suco de caixinha do seu dia-a-dia. Mas eu acho maravilhoso ter informação suficiente pra poder fazer eu mesma as minhas escolhas. E prefiro consumir produtos de empresas que respeitam esse meu direito. E acho que toda mãe e todo pai antenado também tem essa mesma preocupação né?

Então, pensando em ajudar a divulgar essa campanha que eu achei muito bacana, resolvi fazer esse post, pra que você também possa se informar e divulgar. Quem sabe assim essa regulamentação não muda e as empresas comecem a informar o quanto de fruta e o quanto de açúcar tem nos sucos de caixinha?

O link da campanha é esse aqui: http://www.idec.org.br/especial/agitese

E nesse blog eu achei um comparativo super legal dos ingredientes de várias marcas de suco, vale a pena conferir: http://www.lookbebe.com.br/2012/07/30/sobre-os-sucos-de-caixinha-atencao-a-escolha/

Beijos,
Aline

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Você usa a cadeirinha no carro? - by Aline Martins

Sempre fui uma pessoa meio legalista. Não vou ser hipócrita de afirmar que nunca descumpri uma regra, porque eu sou humana e falho (e como!), mas o fato é que eu sou aquele tipo certinha, que adora seguir uma regra, e não cumpri-las me deixa muito estressada.

Depois que o FH nasceu, essa minha característica se tornou ainda mais forte: é como se eu o estivesse ensinando, pelo meu exemplo, que o mundo possui regras e que ele funciona melhor se todos fizermos a nossa parte cumprindo-as. Já tinha esse discurso como professora de Direito, a gora como mãe, ele se tornou ainda mais presente na minha vida.

Estou contando isso porque sempre vejo pais e mães que carregam os filhos soltos nos carros. O Código de trânsito mudou, obrigou os pais a carregarem as crianças no banco de trás e nas cadeirinhas, e o fato é que hoje vemos muitas cadeirinhas nos carros, mas as crianças não estão sentadas nelas.

Na minha casa eu e meu marido não permitimos isso. O FH só anda na cadeirinha e ponto final. Essa é uma regra que ele nem questiona e nunca faz birra pra não ir na cadeirinha. Já carreguei ele solto no carro? Já, excepcionalmente, por uma ou outra necessidade, mas confesso que não gosto e passo o tempo todo dentro do carro rezando pra que nada aconteça. Porque sei que se acontecer algo eu morreria de remorso, então é uma prática que eu evito ao máximo.

E essa é uma decisão que não cabe ao FH, obviamente. Ela é uma decisão de adultos, que por acaso, somos eu e o pai dele. Porque eu já ouvi isso de alguns pais: ah, meu filho não gosta da cadeirinha. Epa, mas quem é o adulto nessa relação? Quem é que deveria decidir isso mesmo?

Mas o fato é que, a cadeirinha, por si só, não evita muita coisa. Confesso que eu dirijo infinitamente mais tranquila com o FH na cadeirinha, ainda mais aqui em Palmas, capital mundial dos barbeiros no trânsito. Já passei por situações estressantes no trânsito com ele, em que nada aconteceu, mas eu acho que reagi bem na hora justamente por imaginar que, na pior das hipóteses, ele ficaria são e salvo.

E qual não foi minha surpresa ao ler na Folha de São Paulo (veja reportagem aqui) que as cadeirinhas testadas pela PROTESTE não protegem as crianças em caso de colisão lateral? E aí as empresas alegam em sua defesa que seguem TODAS as normas de segurança exigidas pelo Brasil na fabricação de cadeirinhas?

Entrei no site da PROTESTE e vi que a cadeirinha do FH não foi testada (não sei se pro meu alento ou pro meu desespero) e que, apesar de o site recomendar alguns modelos, nenhum é 5 estrelas. A única cadeirinha com 4 estrelas nem é fabricada no Brasil, é importada da Itália. Então como ficamos? Os argumentos que eu uso com meus colegas que insistem em carregar os filhos soltos no carro caem por terra?

INMETRO, você que é responsável por regulamentar essas normas técnicas, vamos aperfeiçoar essa aí? Porque, afinal de contas, ninguém inventou a moda da cadeirinha só pros pais gastarem mais dinheiro né? E não é justo precisar importar produtos de outros países pra oferecer segurança efetiva para nossos filhos no trânsito.

Defendo um trânsito mais gentil, a começar pelo seguimento estrito das regras. Muitas mortes e dores seriam evitadas se cada um fizesse sua parte no trânsito. E imagino que essas pessoas que por negligência se envolvem em acidentes, devem sentir muito remorso depois. Então por que não evitar essa dor? Penso que se eu me envolver em um acidente, tem que ser por fatalidade, e não porque, de algum modo, eu contribuí pra isso. Posso sentir dores de toda sorte, mas a da consciência eu escolho evitar.

E você, como carrega seus filhos no carro?
Um beijo,
Aline

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Feliz 2014 - by Anne Karol

Olá queridos leitores,

Hoje quero convidar todos vocês a fazermos uma reflexão sobre o ano que se finda, sim, pois é através de nossa vivência que planejamos, sonhamos, batalhamos, concretizamos ações para o futuro e o futuro está aí, logo ali, amanhã já será futuro e o hoje será o ontem, e o ontem nossas experiências, anseios, medos, mas tudo já vivido, superado, a vida será sempre um grande livro em construção e nós somos os escritores desse lindo livro, está nas nossas mãos os desfechos e tudo sempre será um grande aprendizado.

http://www.umadicapordia.com.br/tags/ano-novo/
Desejo em nome de todas as Mamis que sejamos capazes de levar em nossa bagagem apenas o necessário, aquilo que nos fez crescer como mãe, mulher, pai, enfim, como ser humano. Que sejamos capazes de guardar em nosso coração apenas as boas vibrações, que possamos conquistar cada vez mais as pessoas pelo que realmente somos, que a sabedoria caminhe sempre ao lado da humildade e que a força em que cada um acredita, se manifeste por todos os dias de nossas vidas através de nossas ações.

Queremos agradecer a todos os leitores por partilhar nesse ano que se finda, suas vivências e nos permitir sermos lidas, entrando de alguma forma em suas vidas.

Que 2014 seja repleto de muito amor, paz, harmonia, saúde, amizade, fraternidade, crianças, bebês no forninhos, treinos e tudo de melhor que a vida possa nos oferecer.

Sâo os votos de MAMIS.

http://www.podcastf1brasil.com.br/ate-2014/

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Feliz natal 2013 - by Aline Martins

Deixar mensagem de feliz natal parece sempre uma coisa meio clichê, não é? E nesses 4 anos de blogmamis (sim, já estamos juntos por todo esse tempo), já fizemos isso algumas vezes por aqui.

Dessa vez eu quero, além de desejar feliz natal pra vocês, queridos leitores do nosso bloguinho, desejar um natal pra lá de especial a essas MAMIS que compõem nosso grupo. Sim, porque sem elas, eu não seria uma MAMIS, e não estaria aqui escrevendo hoje.

Nós passamos por muita coisa juntas: vivenciamos, mesmo que a distancia, a gravidez e o nascimento de cada bebezinho, fizemos torcida pra que cada treino terminasse em positivo, choramos juntas quando isso não aconteceu.

Algumas de nós mudou de vida completamente, de casa, de cidade, algumas ficaram mais perto, outras ainda mais longe.

Nós brigamos e fizemos as pazes tantas vezes que já perdi as contas. Nós compartilhamos sonhos, conquistas e também tristezas tão infinitas que só foram suportadas porque tínhamos umas as outras.

Tivemos um encontro, unzinho só, de todas as mamis, e creio que um próximo encontro ainda vai demorar, pelo tanto de bebezinhos nos forninhos país afora. Mas “encontrinhos”, como gostamos de chamar, estão sempre acontecendo.

Novos desejos, anseios, lutas, engajamentos, prioridades foram surgindo no caminho de cada uma de nós. Mas se há um tempo atrás, meu pessimismo me fez acreditar que isso seria o fim das MAMIS, estava errada. Mesmo com interesses diferentes, continuamos amigas, com laços mais fortes que nunca.

Mudamos as ferramentas de conversa e o papo está ali, em dia, diariamente, com cada momento de nossas vidas sendo compartilhado. Como amigas confidentes de uma vida inteira. Como fazemos com família.

Aliás, nem sempre conseguimos fazer isso com a família. Por isso amigas, vocês são minha família, a família que eu escolhi, no meu coração. E é por isso que vou utilizar esse espaço, o nosso espaço, do nosso bloguinho, pra dizer que amo vocês e que eu desejo que vocês tenham um natal maravilhoso com suas famílias de sangue, com os agregados de coração, em seus lares. Que esse natal seja repleto de amor, de perdão, de solidariedade e de luz.

Às MAMIS Aberg, Anne, Alê, Alininha, Josilda, KKfaria, Luana, Maryna, Naty, Rogroba, Rolopes, Than, Thays e Wan, que nossa amizade amadureça e siga fortalecendo seus laços por mais uma vida inteira de alegrias compartilhadas.

Ainda virão muitas conquistas em nossas vidas, e tenho plena certeza de que compartilharemos todas elas.

Feliz natal!
Um beijo,
Aline
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...